O Mundo Sombrio de Sabrina | Saiba tudo sobre a mitologia e folclore por trás do especial de Natal

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Atenção! Contém spoilers para o especial de Natal de O Mundo Sombrio de Sabrina.

O Mundo Sombrio de Sabrina: Um Conto de Inverno | Crítica

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Mundo Sombrio de Sabrina apostou em referências a eventos históricos e ocultismo durante sua primeira temporada. No especial de Natal, lançado na última sexta-feira (14), o folclore e mitologia foram partes essenciais da trama do episódio.

No cerne do especial de Natal está o desejo de Sabrina em contactar o espírito de sua mãe, o qual ela havia encontrado no Limbo durante primeira temporada. A bruxinha aproveita a época do fim de ano, celebrado pela comunidade mística como o Solstício de Inverno, na qual os dias são menores e as noites maiores.

Logo no início do episódio, a Tia Zelda alerta para a necessidade de queimar o Tronco do Yule, um objeto que tem o objetivo de manter espíritos malignos longe. A queima do tronco é uma tradição antiga de países europeus. Com o primeiro registro do costume datado em 1184, a técnica parece ser uma evolução dos sacrifícios humanos realizados pelos antigos celtas. Com o tempo, a queima do tronco ganhou um ar mais cerimonial, deixando de ser associada aos espíritos malévolos.

Outra parte interessante do episódio é a participação dos Rapazes do Yule. Na série, essas criaturas sobrenaturais são as almas de crianças órfãs coletadas pela bruxa Gryla, que invadem casas para pregar peças e causar destruição. Essa lenda vem do folclore da Islândia, onde os Rapazes são retratados como 13 garotos espectrais que deixam presentes ou batatas podres nos sapatos de crianças colocados nas janelas durante as treze noites anteriores ao Natal.

Gryla é mostrada na série como uma bruxa antiga que fez um pacto com outra feiticeira de seu clã para se alimentar de seus filhos. Quando a segunda bruxa quebrou a promessa, Gryla começou a vagar pela terra, coletando almas órfãs para sua “família”. No entanto, a Gryla mitológica não é uma bruxa, e sim uma giganta do folclore islandês. Ela é considerada a mãe dos Rapazes do Yule, mas sua aparição só foi associada ao Natal no século XVII.

No folclore, a personagem é descrita como uma mulher de dimensões monstruosas que desce das montanhas na época do Solstício para comer crianças desobedientes, as quais ela cozinha em um ensopado.

Outro demônio com um papel proeminente no episódio é Bartel. Ele se disfarça de Papai Noel para abduzir crianças e prendê-las em moldes de cera, e quase acaba fazendo o mesmo com Susie. O nome Bartel não é associado a nenhum demônio conhecido no misticismo. No entanto, a aparência do personagem lembra outra criatura natalina maligna.

Krampus é considerado a versão maligna do Papai Noel. Descrito como um monstro metade bode metade demônio, ele aparece para punir e sequestrar crianças que se comportaram mal durante o ano.

Intitulado Um Conto de Inverno, o especial já está disponível na Netflix.

O Mundo Sombrio de Sabrina é uma releitura dark da origem e das aventuras de Sabrina, a Aprendiz de Feiticeira. Uma história de transição entre a adolescência e a vida adulta, a série apresenta elementos de terror, ocultismo, e, é claro, muita bruxaria.

Seguindo a linha de clássicos como O Bebê de Rosemary e O Exorcista, esta adaptação mostra uma Sabrina que luta para conciliar sua natureza dupla – meio bruxa, meio mortal – enquanto combate as forças do mal que ameaçam a sua própria vida, a de sua família e o mundo habitado pelos humanos.

Todos os episódios da primeira temporada já estão disponíveis na Netflix e a segunda temporada já está confirmada.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio