A Netflix baniu um episódio de Patriot Act with Hasan Minhaj na Arábia Saudita a pedido do governo saudita, de acordo com o Yahoo! O episódio em questão aborda a tortura e o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, que teria sido executado a pedido do príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman de acordo com legisladores dos Estados Unidos.

No episódio, Minhaj critica e zomba da explicação do governo saudita para o assassinato do jornalista. Os sauditas alegam que cinco membros desonestos do regime cometeram o assassinato secretamente, sem o conhecimento do príncipe herdeiro, e garantem que ainda estão tentando fazer com que recebam pena de morte.

“Os sauditas estavam lutando para explicar seu desaparecimento”, diz o comediante no episódio. “Eles disseram que ele deixou o consulado em segurança, então usaram um corpo duplo para fazer com que parecesse que estava vivo.”


Black Mirror: Bandersnatch | Descubra como conseguir o melhor final do episódio interativo da Netflix

“Em um momento disseram que ele morreu em uma briga, no estilo de Jackie Chan. Tentaram tantas explicações. A única coisa que não disseram foi que Khashoggi morreu em um acidente de escalada livre.”

A Comissão de Comunicações e Tecnologia de Informação Sauditas pediu o banimento do episódio à Netflix argumentando que o mesmo violou o Artigo 6 da lei anti-cibercrime do reino, que proíbe a produção, distribuição, transmissão ou armazenamento de material que atinja a ordem pública, os valores religiosos, a moral pública e a privacidade através da rede de informação ou computadores. O episódio, porém, continua disponível no YouTube no país.

Patriot Act with Hasan Minhaj é um programa de variedades da Netflix, que aborda principalmente sátiras políticas. Nos episódios, o apresentador e produtor Hasan Minhaj comenta sobre questões culturais e políticas da atualidade com acidez e bom humor.