Na segunda-feira (29), o Instituto Nacional de Saúde dos EUA divulgou uma pesquisa com dados preocupantes. De acordo com o relatório, abril de 2017 foi o mês com o maior número de suicídios em cinco anos no país.

Além disso, a pesquisa mostrou que o período teve um aumento de 28,9% de casos na faixa de pessoas entre 10 e 17 anos, em relação ao mês anterior. Logo, o resultado foi ligado com a série da Netflix, 13 Reasons Why, que foi lançado em março de 2017.

Um porta-voz da Netflix respondeu na terça (30) a pesquisa. A plataforma de streaming usou um outro estudo para rebater o que foi constatado no relatório.


“Nós vimos o estudo, que conflita com uma pesquisa da última semana da Universidade da Pensilvânia. É um tópico muito importante e nós estamos trabalhando duro para garantir que estamos tratando com responsabilidade esse tema sensível”, declarou o porta-voz.

O estudo citado mostra que espectadores que viram 13 Reasons Why foram conscientizados sobre o tema. Jovens, principalmente da faixa entre 18 e 29 anos, teriam buscado ajuda após verem as duas temporadas do seriado.

Mesmo assim, ambas pesquisas deixam claro que os resultados não são conclusivos. Muitos fatores não permitem que seja confirmada a responsabilidade total da série em nos dois casos.

No momento, a série 13 Reasons Why está em gravações da terceira temporada. A Netflix ainda não divulgou detalhes da trama.

O elenco conta com os retornos de Dylan Minette, Brandon Flynn, Alisha Boe, Justin Prentice, Christian Navarro, Anne Winters, Miles Heizer, Devin Druid e Ross Butler. Katherine Langford não retorna.

A terceira temporada de 13 Reasons Why estreia na Netflix em 2019.