O criador da série Chernobyl, Craig Mazin, revelou no podcast oficial da série que Ulana Khomyuk, personagem de Emily Watson, é a única que foi criada para trama. Todas as outras figuras apresentadas são inspiradas em pessoas reais.

Essa decisão, porém, não alterou a realidade do que aconteceu após a catástrofe nuclear de Chernobyl, em 1986 na antiga União Soviética. Como é visto, a cientista de Emily Watson se contrapõe a Valery Legasov (Jared Harris), que comandava a equipe de investigação da tragédia.

Na vida real, dúzias de cientistas foram convocados para trabalhar em Chernobyl. Ulana acaba virando uma personificação do grupo que era contra as decisões de Legasov. Os atos da personagem e as suas falas são inspirados no que todos esses pesquisadores fizeram durante a investigação.


“Uma das áreas que os soviéticos estavam na frente era na medicina e na ciência. A União Soviética tinha um grande número de cientistas mulheres”, lembrou ainda Mazin para Variety.

Enquanto isso, a própria Watson comentou sobre a sua personagem para o Collider.

“Mazin uniu os elementos que ele precisava para contar a história. E mesmo que você interprete uma pessoa que existiu, com exceção se for famosa, apenas imitar ela não necessariamente serve para história”, defendeu a atriz sobre a criação da cientista.

O episódio final de Chernobyl vai ao ar na noite desta sexta, 7, na HBO Brasil.