Elenco fala sobre os ‘nojentos, mas incríveis’ monstros de Stranger Things 3

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Contém spoilers da 3ª temporada de Stranger Things.

A terceira temporada de Stranger Things finalmente está disponível na Netflix e traz de volta o aterrorizante Mind Flayer de volta para Hawkins, ou melhor, confirma que ele continuou lá após o término da segunda temporada.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Agora, em entrevista à Variety, o elenco de Stranger Things falou sobre as criaturas nojentas que aparecem nesse terceiro ano da série.

“Lembro que os Duffer me mostraram os ratos explodindo no telefone deles, e foi bem parecido com o que apareceu na série”, disse Finn Wolfhard, o Mike de Stranger Things. “E eu disse a eles, ‘cara, isso é incrível!’. Eu achei o máximo. Foi nojento, mas incrível. Foi ótimo”.

O ator se refere, claro, aos ratos que o Mind Flayer “assimila” durante a temporada e acabam explodindo para formar uma poça, que dá origem à outra criatura.

Elementos imagéticos de “body horror” como esses estão bem presentes na terceira temporada de Stranger Things e o elenco chegou a dizer à Variety que os irmãos Duffer buscaram incorporar elementos de clássicos filmes de terror, como Vampiros de Almas, A Morte do Demônio e A Bruma Assassina.

Eventualmente, o Mind Flayer acaba infectando pessoas ao invés de ratos em Hawkins e o maior destaque vai para Billy Hargrove (Dacre Montgomery).

“O meu arco nessa temporada é algo que qualquer ator gostaria de ter”, disse Montgomery.

Montgomery revelou ainda que chegaram a conversar, na produção da série, sobre Billy ser infectado antes disso, mas durante a segunda temporada “acabamos humanizando Billy com aquela cena com seu pai”, disse Montgomery. “Então na terceira temporada, os Duffer disseram, ‘é aqui que vamos seguir com isso’”.

Nancy (Natalia Dyer) e Jonathan (Charlie Heaton), funcionários do jornal da cidade, são os primeiros a perceber que há algo errado, quando uma mulher mais velha liga dizendo que os ratos estão se comportando de maneira estranha em seu porão. A investigação dos dois, no entanto, é descartada pela equipe editorial do jornal, formada só por homens, que se referem a Nancy como ‘Nancy Drew’ e a reduzem para a pessoa que pega café, dentre outras atividades pequenas.

“Toda mulher passou por isso de alguma forma”, disse Dyer. “Geralmente vivemos isso. Essa atitude existe. Algumas dessas cenas pareceram reais demais. No mundo em que eu trabalho não senti muito isso, mas minha mãe, minha irmã, minhas amigas, todas têm histórias assim. Estou feliz que tenham colocado isso na série, porque a tela é algo poderoso”.

Nancy e Jonathan também lidam com seu relacionamento nessa temporada, com Charlie Heaton chegando a brincar que eles pensaram que eram como “um velho casal” quando leram o roteiro pela primeira vez.

“Estar juntos nesse ambiente de trabalho, tendo vindo de lugares diferentes, eles podem não se entender nem um pouco”, disse Heaton. “Mas no fim, essas diferenças não importam, porque eles se amam”.

Dito isso, ainda há alguns elementos românticos mais leves nessa temporada, como a relação amorosa adolescente (tumultuosa) de Mike e Eleven. Eles começam como um casal inseparável, mas depois de Hopper (David Harbour) conversar com Mike, o garoto começa a evitar Eleven a fim de não atrair a ira de Hopper.

Isso acaba levando a Eleven terminar com Mike, começando a passar mais tempo com Max (Sadie Sink). Mike e Lucas (Caleb McLaughlin), então, tentam desesperadamente reconquistar suas paixões de volta de forma muito bem humorada.

“Eu estava realmente empolgado porque fiz algumas cenas de comédia e nunca tinha feito isso em Stranger Things”, disse Finn Wolfhard, que vive Mike. “Amei como o relacionamento dos dois funcionava e como eles ficam juntos nessa missão, mas não estão juntos-juntos”.

Não podemos ignorar também um dos temas importantes da temporada de Stranger Things, que é o amadurecimento e o fim da infância.

“Acho que para Will, ele não está querendo deixar sua infância para traz”, disse Noah Schnapp, o Will de Stranger Things. “Will ficou preso no Mundo Invertido enquanto eles estavam passando tempo juntos e agora ele só quer voltar a ser como era antes, sem nada ter mudado. Já os outros estão prontos para seguir adiante e começar a namorar, então ele começa a se sentir excluído”.

“Acho que as crianças na série são forçadas a amadurecer muito mais rápido, porque elas estão lidando com esses monstros e diferentes dimensões”, complementou Sadie Sink, a Max. “Podemos nos relacionar com isso de certa forma, pois não estamos lidando com monstros, mas estamos encarando o sucesso da série, então temos de amadurecer um pouco mais rápido”.

De fato, não é fácil para crianças trabalharem em produções como essas, em razão de todas as coletivas de imprensa e mais, que acabam tirando parte da magia da juventude.

Isso sem falar que parte do elenco da série acabou conseguindo papéis em outras produções de destaque, como é o caso de Finn Wolfhard em It: A Coisa e Millie Bobby Brown em Godzilla 2: Rei dos Monstros.

A terceira temporada de Stranger Things já está disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio