Ex-detetive diz que Olhos que Condenam é “totalmente sem sentido”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A minissérie Olhos que Condenam, da Netflix, recebeu críticas de um ex-detetive da polícia de Nova York. O homem afirma que a produção é “totalmente sem sentido”.

A minissérie é baseada na história real de cinco adolescentes que são presos por um estupro brutal que eles não cometeram. Eric Reynolds, o ex-detetive, foi responsável por duas das cinco prisões injustas.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em abril de 1989, Reynolds estava trabalhando como policial de campo quando Trisha Meili foi estuprada no Central Park. O ex-detetive foi responsável por acusar Raymond Santana e Kevin Richardson.

Em entrevista ao Daily Mail, o homem procurou se defender. O ex-detetive ainda se disse “espantado”.

“Quando eu comecei a ver o começo, achei que estava vendo um musical. Fiquei espantado. Não foi o que aconteceu”, declarou o ex-policial.

Reynolds se mostrou contrariado com a representação de que os cinco homens são vítimas de um sistema penal racista. Além disso, defendeu outros colegas, alegando que os presos nunca foram espancados por policiais.

O ex-detetive também defendeu a juíza Linda Fairstein. Na minissérie, é mostrado que a autoridade comandou que “cada homem negro no Central Park no momento do crime” deveria ser procurado.

“É tão absurdo que é para se rir. É uma coisa triste que as pessoas acreditam e se indignam. Como detetives, trabalhamos com provas. Nós não vamos atrás de pessoas e Linda Fairstein não estava lá no primeiro dia. Nunca aconteceu”, relatou Reynolds.

Além de “totalmente sem sentido”, o ex-policial diz ainda que Olhos que Condenam é “maliciosa”.

Estrelada por Michael K. Williams, Vera Farmiga, John Leguizamo e Felicity Huffman, Olhos que Condenam começa em 1989, quando cinco adolescentes do Harlem foram condenados injustamente pela mídia e depois duas vezes nos tribunais pelo estupro brutal de uma atleta no Parque de Nova York.

Somente em 2014, Santana, Antron McCray, Kevin Richardson, Yusef Salaam e Korey Wise tiveram seus nomes finalmente limpos.

Olhos que Condenam está disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio