ALERTA DE SPOILERS

Mayans M.C. matou outro personagem importante no final da segunda temporada, trazendo um desfecho trágico a uma das maiores histórias da série. A série finalmente confirmou suspeitas sobre quem ordenou o assassinato de Felipe Reyes (Edward James Olmos) e de sua esposa Marisol nove anos atrás, o que resultou em EZ (JD Pardo) eventualmente indo para a prisão e querendo vingança após o assassinato de sua mãe.

A série deu dicas de que um membro da família Galindo era o culpado depois que Emily (Sarah Bolger) encontrou pistas graças a Happy (David Labrava), mas a confirmação levou a um momento trágico de justiça.


Depois que EZ e Felipe chegaram à conclusão de que a ex-amante do patriarca da família Reyes, Dita Galindo (Ada Maris) possivelmente havia ordenado o golpe, Felipe concordou em se encontrar com ela e descobrir a verdade de uma vez por todas.

Os dois se encontraram mais uma vez no telhado do consultório de sua terapeuta, onde Dita finalmente admitiu que ordenou que ele e sua esposa fossem mortos, o que resultou na morte de Marisol Reyes. Ela revelou que, depois de passar 20 anos separados, Dita viu Marisol e Felipe em um carnaval, fazendo seu sangue ferver de ciúmes.

Ela admitiu que também sabia que Felipe sempre suspeitava que Miguel (Danny Pino) ​​poderia ser seu filho biológico. Preferia ver seu antigo amor morto do que a possibilidade de ele se aproximar de seu filho após a mudança de Miguel para Santo Padre.

Dita diz que acredita que o fogo que a feriu gravemente antes da segunda temporada não a matou porque ela só pode encontrar paz para o que ela fez se Ignacio Cortina se vingar. Ela então deixa Felipe para refletir sobre a possibilidade de matá-la mais tarde.

Enquanto Felipe diz severamente a Angel (Clayton Cardenas) e EZ que, se alguém vai matar Dita, tem que ser ele, para que suas mãos não fiquem sujas de seus erros, a mãe de Miguel parece serena. Ela e o filho conversam em seu quarto, onde ela pede para se ausentar do grande evento da família no dia seguinte, pois ela ainda não está confortável com grandes multidões.

No dia seguinte, é revelado que tudo era uma desculpa quando Dita escapa da segurança depois de pedir a Felipe, EZ e Angel para encontrá-la nos arredores da cidade. Depois de ver a dor de Felipe, ela percebe que ele não é o mesmo homem de quando trabalhou para os Galindos como Ignacio Cortina. Ela diz que a melhor maneira de equilibrar a família é que outra mãe morra e pede aos irmãos que a matem.

Ela garante que escreveu cartas para seus entes queridos, o que fará sua morte parecer um suicídio. Eles brutalmente a sufocam até a morte em uma cena comovente. EZ e Angel então atearam fogo ao corpo dela e observam como a justiça é finalmente cumprida pelo assassinato de sua mãe.

Perto do final do episódio, Emily e Miguel encontram a carta de Dita e sabem que ela pode ter feito algo consigo mesma. Alvarez (Emilio Rivera) e Nestor (Gino Vento) apontam para o corpo e o casal lamenta sua grande perda.

Alvarez então percebe trilhas de motocicleta próximas à cena, sobre as quais Nestor também se pergunta. Antes de chamar a polícia, no entanto, Alvarez apaga os rastros com o sapato, aparentemente garantindo que a morte de Dita não será investigada como um assassinato pelos policiais.

Miguel algum dia descobrirá seu verdadeiro pai? Alvarez vai levar a investigação em suas próprias mãos e vir atrás da família Reyes?

Com desgosto e sangue suficientes para nos segurar até a terceira temporada, Mayans MC não poderia terminar a segunda temporada sem um momento final de crossover de Sons of Anarchy. Este, no entanto, não era tão feliz quanto os anteriores.

Depois que o ataque à festa terminou, com os Mayans matando todos na sala, EZ vai a Bishop com algumas notícias perturbadoras. Embora eles não tenham encontrado o presidente da VM, há outro problema que eles precisam resolver.

Todos eles caminham para outro cômodo da casa, onde encontram outra vítima do ataque. O homem morto no chão está usando uma roupa dos Sons of Anarchy. Teremos que esperar até 2020 para descobrir quem foi morto no ataque.