Popular série da Netflix faz críticas pesadas aos filmes da Marvel

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Cuidado! Contém SPOILERS de BoJack Horseman!

BoJack Horseman sempre traz piadas com referências de Hollywood. Assim, é de se esperar que o famoso desenho da Netflix também brinque com os filmes de heróis da Marvel e DC.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na 6ª e última temporada, os fãs podem encontrar muitas referências de sátiras em Hollywoo, a Hollywood da animação. Os easter eggs podem ser vistos desde a estreia da primeira parte do ano final.

Em A Horse Walks Into Rehab (Um Cavalo Entra em Reabilitação, em tradução), uma decoração traz o capacete de Throg, mostrando que o Thor da Marvel é um sapo. É uma referência às HQs da editora que trazem Simon Walterson, o Thor sapo.

A partir do episódio A Little Uneven, Is All (Um pouco irregular, é tudo, em tradução), BoJack Horseman começa a fazer críticas ao gênero – que parecem direcionadas principalmente aos longas da Marvel, como notado pelo CBR.

Todd faz a primeira crítica, mais leve, aos longas do gênero. “Assistentes são como filmes do Deadpool. Eu não poderia parar com o primeiro, apesar de que eu deveria. Agora, eu tenho 12”, diz o personagem.

Mas, o capítulo que mais conta com referências e críticas é o último da primeira parte da 6ª temporada. Em A Quick One, While He’s Away (Uma rapidinha, enquanto ele está fora, em tradução), os fãs conseguem perceber a mensagem.

Na trama, a diretora Kelsey Jannings retorna e ganha a chance de retomar a carreira ao dirigir Fire Flame. A premissa do longa já é uma crítica ao universo dos heróis, em que a trama tem como “reviravolta” o herói ser uma mulher.

“Eu venho dizendo por anos: ‘Mais rápido que fugimos dos personagens masculinos e damos sequências para eles, cada vez mais precisamos fazer um filme sobre Fire Flame”, é dito no desenho. A fala pode ser uma crítica direta a Marvel, que demorou mais de 10 anos para ter um longa estrelado por uma mulher – Capitã Marvel (2019).

Depois, ao entrar em uma sala, os fãs podem ver dois cartazes. Um é uma versão animal de O Justiceiro (Invisibull). E o outro, mais claro, é uma sátira do Hellboy (Shellboy) – fugindo um pouco da Marvel, já que o personagem é da Dark Horse Comics. Veja abaixo.

Na produção do filme, BoJack Horseman volta a satirizar os longas de heróis e a concepção do feminismo em longas. O estúdio quer transformar um filme de fantasia com foco no feminismo em uma marca e espera que a diretora aceite, sem observações.

Porém, Kelsey se recusa e dá a visão dela sobre o assunto. Para a diretora, a fantasia não é correta, porque as mulheres não recebem o mesmo tratamento que os homens e muitas vezes, atitudes aplaudidas para um herói se tornam críticas quando é uma heroína na mesma posição.

Assim, a cineasta quer escrever um longa que mostre a real diferença com que uma heroína seria tratada na sociedade.

O roteiro realista e sombrio da cineasta é um sucesso. BoJack Horseman e a Netflix, porém, parecem deixar em aberto se é possível conseguir o mesmo de produções na vida real.

A primeira parte da 6ª temporada de BoJack Horseman está disponível na Netflix. Os episódios finais chegam em 31 de janeiro de 2020.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio