Batwoman está se destacando não só por sua trama, mas por sua representatividade, já que a série é protagonizada por uma personagem homossexual.

A televisão mostrou mais uma vez que é mais inclusiva do que o cinema, pelo menos é o que diz o relatório da GLAAD, organização americana que monitora a maneira em que a mídia trata a população LGBTQ.

Nessa quinta-feira (07), a GLAAD relatou que a porcentagem de personagens LGBTQ em séries de TV chegou a 10,2%, superando os 8,8% da última contagem. Esse é o maior valor apresentado até hoje, superando os 10% recomendados pela organização.


Esses 10,2% representam 90 personagens de 879 em 111 séries de TV roteirizadas. Os destaques ficam para Kate Kane (Ruby Rose) em Batwoman, Dex (Cobie Smulders) de Stumptown e Paul Strickland (Brian Michael Smith) de 9-1-1.

De acordo com o levantamento, o CW é o canal que mais se sobressai nesse aspecto, sendo 15,4% de seus personagens LGBTQ, com destaque para as séries do Arrowverso.

Isso é evidente em Batwoman, série em que a protagonista Kate Kane (Ruby Rose) é uma heroína abertamente LGBTQ. Além de explorá-la como heroína, a série também mostra sua vida pessoal e amorosa.

Batwoman está exibindo sua 1ª temporada na CW.