A maioria dos episódios de The Mandalorian recebeu elogios, com o misterioso caçador de recompensas de Pedro Pascal dedicando-se a proteger a Criança, mais conhecida como Bebê Yoda. No sexto episódio da série de Star Wars, “O Prisioneiro”, tudo muda quando Mando se reconecta com velhos conhecidos para ajudar a libertar um prisioneiro.

Mas enquanto supusemos que sua equipe consistisse em mentes coniventes, como as que poderiam rivalizar com Boba Fett, Han Solo e Lando Calrissian, esse grupo de criminosos decadentes acaba sendo o mais idiota do universo de Star Wars.


Um estranho esquadrão

Mando responde a uma ligação de Ranzar (Mark Boone Jr.), com quem ele trabalhou no passado. Seu esquadrão consiste no ex-atirador imperial Mayfeld (Bill Burr), um devaroniano chamado Burg (Clancy Brown), o droide Q9-0, ou “Zero” (dublado por Richard Ayoade) e Xi’an (Natalia Tena), uma Twi’lek que tem uma história com Mando.

A tarefa deles é libertar um colega de Ranzar da prisão, mas quando bandeiras vermelhas aparecem, Mando fica em alerta máximo.

Acontece que a prisão é um transporte da Nova República e, quando libertam o irmão de Xi’an, Qin (Ismael Cruz Cordova), a tripulação trai Mando. Eles o deixam na cela, mas, felizmente para o caçador de recompensas de Star Wars, são estúpidos demais para formular um plano adequado para manter Mando sob controle.

Isso, é claro, implora para questionar: por que não matar Mando? Xi’an certamente está ciente da desenvoltura de Mando, mesmo que os outros não.

Se fossem espertos, teriam matado Mando assim que abrissem caminho pela segurança dos droides do transporte. Em vez disso, eles o jogam na cela de Qin – com todo o seu equipamento intacto.

Eles deveriam tê-lo despojado e ter certeza de que ele não tinha armas, pois ele acabou usando seu gancho para agarrar um droide e se libertar. Sua reputação o precede, e isso é como deixar Batman em uma cela de Arkham com seu cinto de utilidades.

E é uma comparação muito apropriada, porque Mando continua perseguindo seus “companheiros” como o Cavaleiro das Trevas. O que é ainda mais confuso é que, quando o gigante Burg enfrenta Mando minutos depois, seu principal objetivo é desmascará-lo.

Alguém poderia pensar que ele mataria o caçador de recompensas quando tivesse a vantagem, mas Burg, depois de se provar imune a chamas e outras armas que Mando tem, simplesmente se envolve em seu fetiche de desmascará-lo.

Doce vingança

O que torna isso tão bobo é que Burg não tinha interesse em desmascarar Mando quando o haviam superado em número, mas aqui, para complicar a luta individual, ele tenta arrancar o capacete. Isso leva Mando a esmagar Burg com uma porta e você não pode deixar de sentir que ele merece isso por falta de genialidade.

Quanto a Xi’an, ela nem usou sua história (implicada em natureza romântica ou sexual) com Mando para brincar com sua mente, enquanto Zero optou por não deixar a nave para participar da caçada.

Zero permanece a bordo da nave de Mando, a Razor Crest, para encontrar um Bebê Yoda escondido. E embora o droide tenha acesso ao painel principal e a todas as informações do compartimento, Bebê Yoda, no entanto, é mais esperto que ele.

O que faz desse droide um idiota é que ele nem ouve Mando abrindo a escotilha para entrar a bordo, o que leva a uma explosão no peito. Mando sai com Bebê Yoda, deixando os criminosos presos no que deveria ter sido um trabalho fácil, dados os números.

Sabemos que Mando é inteligente, mas honestamente, essa vitória se deve a seus caçadores terem um QI baixo e nenhum senso de tática ou estratégia, deixando-nos imaginando como eles chegaram tão longe em primeiro lugar.

A primeira temporada de Star Wars: The Mandalorian está disponível no Disney+, que ainda não foi lançado no Brasil.