Um estudo está criticando duramente Chicago P.D. e outros seriados, como NCIS, por conta de como alguns policiais são representados na história. O levantamento procurou analisar todas séries com o mesmo tema.

A pesquisa foi feita pela organização Color of Change, que luta por justiça racial, ao lado da Sociedade Norman Lear na Universidade da Carolina do Sul.

O estudo procurou analisar 353 episódios de 26 séries, sendo Brooklyn Nine-Nine a única comédia do grupo. O resultado fez duras críticas para Chicago P.D. e o grupo de seriados.


Corruptos viram heróis

Um resumo da pesquisa é que policiais corruptos são, muitas vezes, retratados como heróis. O estudo mostra como policiais quebram regras e cometem abusos de autoridade para resolver casos.

Assim, a pesquisa analisou quantos personagens de cada série foram suspensos ou demitidos pelos crimes. Chicago P.D. e outras séries mostram que policiais corruptos não são punidos, reforçando a identidade como heróis.

Apenas 1 policial, de Seven Seconds, foi punido com uma sentença mínima. Outro ponto é que apenas 10 personagens em 353 episódios foram acusados pelos crimes cometidos durante o trabalho como uma autoridade.

O estudo também chama atenção para outros fatores. Para a pesquisa, as ações mostradas nas séries parecem normalizar “que a justiça é feita ao quebrar as regras”, assim como “são perigosas” por retratarem que o abuso parece não existir e o atual método policial dos EUA deixa as pessoas seguras.

Além disso, os pesquisadores garantem que nenhuma das séries busca retratar o viés racial. “Eles constroem uma versão da justiça em que não há nenhum viés racial em quem é perseguido pela polícia, acusado, condenado e preso”.

A conclusão é que as séries como Chicago P.D. não cooperam para ajudar o público a aprender sobre o sistema da justiça e sobre o trabalho que é feito para reparar injustiças, principalmente a racial.

Os produtores das séries ainda não responderam a pesquisa.

Chicago P.D. exibe a 7ª temporada no canal Universal.