Publicidade

Ciência PROVA que The Walking Dead cometeu grande erro

Publicado por Redação

10/02/2020 21:30

Com mais um derivado em produção, filmes confirmados e a série a todo vapor, está claro que The Walking Dead não vai morrer tão cedo. Diferentemente dos zumbis que compõem o principal tema da série, TWD está mais viva do que nunca.

Segundo o site Digital Spy, no entanto, The Walking Dead cometeu um erro estrutural importante na construção das características dos zumbis.

A publicação explicou melhor essa história; confira abaixo o que foi dito!

Um processo nojento

Melissa Unfred, uma cientista do Texas, contou as verdades e mentiras na maneira que The Walking Dead aborda a morte corporal e o processo natural de decomposição. É claro que mortos andando por aí não tem nada de natural, mas mesmo assim vale a pena refletir sobre como um “apocalipse zumbi” aconteceria na vida real.

Pouco tempo depois da morte, o corpo se torna lívido e perde coloração. O sangue começa a coagular e “afundar” nas cavidades corporais, ficando concentrado nas partes mais próximas do chão.

Depois, a boca e os olhos secam e outras mucosas começam a eliminar secreções. O próximo estágio, no entanto, parece ter sido completamente esquecido por The Walking Dead.

Decomposição

O próximo estágio da decomposição é quando o cadáver começa a inchar. Horas depois da morte, a flora bacteriana do estômago começa a digerir os tecidos internos, o que causa a liberação de gases de um líquido preto conhecido como “fluido do expurgo”.

Dessa forma, é possível concluir que nenhum dos mortos apresentados em The Walking Dead seguiu o processo normal de decomposição. Pelo contrário, os zumbis aparecem mais magros do que nunca, sem nenhum tipo de inchaço ou vazamento.

A explicação

Curiosamente, Robert Kirkman explicou o motivo por trás dos zumbis magros de The Walking Dead.

“Para ser franco, é bem difícil fazer pessoas normais parecerem zumbis. Para deixar os zumbis como vocês veem na série, temos que construir próteses em pessoas reais. Se você começa a adicionar muita coisa, o visual acaba soando falso”, contou o criador da série em uma entrevista ao ComicBook.

Também vale lembrar que o processo de decomposição não termina com o inchaço. Se os mortos de The Walking Dead seguissem o processo natural, seriam reduzidos a uma pilha de ossos em pouco tempo.

The Walking Dead retorna este mês com novos episódios.

Publicidade