ALERTA DE SPOILERS

Durante a Parte 3 de La Casa de Papel, os fãs ficaram atentos com uma refém misteriosa. Ela ganhou atenção porque é interpretada por uma personalidade espanhola.

Belén Cuesta apareceu entre os reféns do Banco da Espanha. Logo, várias especulações começaram a dar conta de que a personagem dela seria importante para história.

A Parte 4 de La Casa de Papel na Netflix confirma esse fato. No entanto, mostra que a personagem não é Tatiana, a esposa de Berlim – como teorias chegaram a informar.


Fim do mistério em La Casa de Papel

A refém misteriosa de La Casa de Papel é Julia e ela está sim ligada aos assaltantes. Como mostra a série da Netflix, a personagem tem uma ligação profunda com o grupo.

Em flashbacks, La Casa de Papel mostra o grupo se preparando para o roubo a Casa da Moeda. De repente, Denver e Moscou (que morreu naquele primeiro roubo) fazem um pedido ao Professor.

Eles pedem se Juanito, o afilhado de Moscou e ex-companheiro de crimes de Denver, pode participar do assalto. Berlim, então, tem a ideia de que seria interessante ter alguém infiltrado entre os reféns.

É assim que o Professor aceita Juanito.

Quando o trio busca Juanito, outra revelação é feita. Juanito conta para Moscou e Denver que é trans e que agora é Julia, que vira a mais nova integrante do bando de La Casa de Papel.

No Banco da Espanha, Julia está infiltrada entre os reféns e passa informações importantes – para evitar um motim, por exemplo. É ela quem revela a traição de Palermo, que ajuda Gandía a se libertar.

“O plano do Professor sai do papel e põe vidas em risco. Agora, os ladrões terão de encarar inimigos dentro e fora do Banco da Espanha”, diz a sinopse dos episódios da Parte 4.

O elenco traz nomes como Úrsula Corberó, Álvaro Morte e Pedro Alonso. A criação é de Álex Pina.

As quatro temporadas de La Casa de Papel estão disponíveis na Netflix.