Don Mancini, criador da série de filmes de terror Brinquedo Assassino, não se propôs a criar um ícone para o público LGBT.

Porém, uma vez que eles responderam à representação e aos temas em seu trabalho, ele entrou no debate.

“Ao longo dos anos, adotamos uma espécie de identidade gay específica para a franquia”, disse Mancini em entrevista à SyFy Wire.


Considerando os vários estilos de horror e humor que os filmes cobriram desde que o primeiro foi lançado em 1988, é fácil ver como essa identidade poderia evoluir organicamente.

O variado mundo de Chucky

Embora a série tenha sido apreciada pela inclusão de personagens gays – e até mesmo um tipo de boneca não binária -, além de atores LGBT, seu personagem principal Chucky não se destina exclusivamente a ser um símbolo LGBT.

Mancini explicou o papel do brinquedo psicoticamente assassino, dizendo: “Nós o inserimos como uma metáfora diferente, dependendo da época em que estamos. Acho que é só estar atento ao que está acontecendo na cultura e depois usar Chucky para abordar essas questões de uma maneira interessante e divertida.”

Chucky e Mancini estarão de volta para uma nova série de TV, intitulada Chucky, que começará a ser filmada no meio do ano.