Criminal Minds teve bastidores turbulentos, com muitas controvérsias e mudanças de elenco.

A maior polêmica talvez tenha acontecido em 2018, quando o diretor de fotografia Greg St. Johns foi demitido da série ao ser acusado de assédio sexual e comportamento rude por várias pessoas da produção.

Dois anos depois, a Disney é uma das grandes empresas que estão enfrentando uma ação no Departamento de Emprego Justo e Habitação da Califórnia por causa disso.


Polêmica com assédio

O processo foi aberto recentemente e tem como alvo Disney, ABC Studios e CBS Studios, as empresas que são donas dos direitos de Criminal Minds.

As vítimas de assédio de Greg St. Johns acusam as empresas de terem acobertado por 14 anos o seu comportamento tóxico no set.

Os estúdios foram listados como réus, assim com os produtores Erica Messer, Glenn Kershaw, Breen Frazier e Harry Bring.

Um porta-voz da ABC Studios, que pertence à Disney, divulgou uma declaração sobre as acusações do processo (via Deadline).

“A empresa trabalha duro para manter um ambiente de trabalho livre de discriminação, assédio ou retaliação. Nesse caso, a Companhia tomou medidas corretivas. Cooperamos com o Departamento de Emprego Justo e Habitação durante sua investigação e lamentamos que não tenhamos conseguido uma solução razoável com o Departamento. Agora pretendemos defender vigorosamente as reivindicações declaradas.”

Até o momento, a CBS Studios ainda não respondeu ao processo.

Criminal Minds recentemente chegou ao fim, após um total de quinze temporadas no ar.