The Walking Dead já acabou nas HQs, mas tudo indica que a série ainda continuará na ativa na TV por muito tempo. Renovada para mais uma temporada e com filmes e derivados em produção, o mundo dos zumbis não deve deixar a TV tão cedo.

Enquanto o episódio final da décima temporada de The Walking Dead não é exibido, já que foi adiado devido à pandemia do coronavírus, fãs querem saber o que aconteceu com vários personagens.

Uma das tramas mais interessantes dos episódios atuais de The Walking Dead é a dos Sussurradores, que deve terminar com a grande guerra entre as comunidades e dar lugar à introdução da poderosa e influente Commonwealth.


Quem conhece o mundo do entretenimento sabe que gravar uma série grandiosa como The Walking Dead é um processo exatamente difícil. Em uma entrevista, um ex-astro da série falou mais sobre essa situação; confira abaixo!

Sujeira

Em um apocalipse zumbi como o que acontece em The Walking Dead, é claro que a higiene pessoal perde espaço como principal preocupação dos personagens.

O aspecto sujo e machucado dos atores, no entanto, é uma criação da mágica de Hollywood. Mas isso não significa que o processo é mais fácil.

De acordo com Michael Rooker, que interpretou Merle em The Walking Dead, o regime de gravações da produção é bastante intenso.

“Vocês sabem como é, é tudo muito corrido. Você volta para a casa ou o hotel e vai dormir. O Norman Reedus, por exemplo, costumava dormir sem nem tirar a maquiagem. Só dava para tomar banho no final do dia, e eu fiz isso muitas vezes”, contou o ator.

Outro problema era o calor intenso da Geórgia, estado americano onde a série é filmada.

“Infelizmente não tem nada que possamos fazer, o calor é realmente insuportável. Todo mundo ficava muito suado. Alguns até passaram mal ou desmaiaram. Eu não, só continuei a me hidratar”, explodiu Rooker.

O episódio final da décima temporada de The Walking Dead deve ser exibido ainda neste ano.