Ao longo dos anos, Rick Sanchez matou muitas pessoas em Rick and Morty. A maioria de suas vítimas são aqueles que o irritaram ou tentaram ser seus amigos.

É claro que Rick sempre tem um motivo mais profundo e muitas dessas vítimas em várias realidades têm sido pessoas que ele acha que desvalorizam ou desequilibram o Multiverso.

Um dos episódios da quarta temporada, no entanto, muda drasticamente nossa compreensão da maneira como Rick cumpriu essa missão, à medida que descobrimos seu segredo mais profundo e sombrio sobre as pessoas que o cruzaram.


O segredo de Rick

Enquanto Rick conduz investigações sobre o planeta em que faz cocô, descobrimos que isso é mais do que apenas uma fuga. É um ponto para Rick reunir seus pensamentos, e enquanto ele rastreia um intruso que usou seu banheiro, descobrimos que ele realmente tem um covil secreto lá.

Rick usa um animal robótico que inicialmente parecia uma fauna nativa para abrir uma árvore que é um elevador. Leva Rick até um laboratório no estilo de Batman, onde ele tem todos os tipos de tecnologia à sua disposição – mais do que o disponível em seu laboratório na Terra.

Rick conecta os pontos usando evidências fecais e percorre a galáxia para encontrar Tony, um trabalhador de escritório tímido que gosta de fazer cocô na solidão como Rick. Mas quando é hora de matar Tony, Rick simplesmente não consegue fazê-lo porque, como Rick, Tony está deprimido por perder sua esposa.

O gênio o deixa sair com um aviso, mas de volta ao seu reino de cocô, Rick vê Tony em seu vazo mais uma vez. Ele se transforma em um gigante e confronta Tony, e fica bravo ao descobrir que o agressor quer oferecer amizade a Rick.

Tony vê Rick como um espírito solitário e desesperado por controle.

Rick senta-se em Tony e aparentemente o mata quando o alienígena é mostrado no céu com Deus e sua esposa pedindo que ele faça cocô com eles. Tony se recusa, o que leva à revelação de que ele está na verdade conectado a uma das máquinas de Rick à la Matrix ou A Origem.

Então, isso é tudo produto do subconsciente dele. Na realidade, Tony está em uma câmara de fluido.

No entanto, Rick percebe que essa fachada mental não está funcionando em Tony. Quando Rick o puxa para repreendê-lo, Tony vê várias outras câmaras alinhadas.

Um Rick indignado explica que ele está usando um produto químico especial chamado Globaflyn para aprisionar as pessoas em suas mentes, onde vivem seus sonhos mais loucos e deixam Rick fora disso. Tony imediatamente chama o blefe de Rick, reconhecendo-os como pessoas que Rick se recusou a matar e, também, pessoas que ele se recusa a deixar entrar em sua vida.

Em outras palavras, Rick armazena corpos há anos para puni-los, mas também para permanecer livre de interação interpessoal. É cruel, mas impede que ele se torne o assassino que pensávamos nos outros episódios de Rick and Morty.

De maneira mesquinha, Rick abre um portal e diz a Tony que esta é sua última chance, porque rejeitar o céu que Rick está oferecendo é um grande erro. Divertido, Tony brinca com Rick, oferecendo sua mão em amizade, mesmo quando Rick, de mau humor e teimoso, finge o contrário.

Tony lembra Rick que ele não é um bastardo ou um assassino, o que ele está fazendo é parte de seu plano para nunca deixar ninguém chegar perto dele.

Tony se despede e parte, mas não antes de deixar Rick saber que não é pecado deixar as pessoas entrarem e simpatizarem com o desejo do cientista de evitar ser vulnerável ou desmoronar emocionalmente após a morte de sua esposa. Rick acha que isso seria um sinal de fraqueza, mas, como Tony aponta, seu segredo está agora revelado – afinal, Rick é um ser humano assustado e carinhoso.

Nos Estados Unidos, a quarta temporada de Rick and Morty ganha novos episódios todos os domingos.

A série volta a ser exibida no Brasil nesta segunda, 4 de maio, no Adult Swim.