Na temporada mais recente da série, fãs de Grey’s Anatomy foram pegos de surpresa por uma notícia chocante: Justin Chambers, o Alex Karev, estava se despedindo. O anúncio veio do nada e deixou muitos espectadores sem saber o que pensar.

Com mais personagens podendo seguir o exemplo de Alex Karev a qualquer momento, fãs já enxergam o dia em que Meredith Grey será a única personagem original ainda presente em Grey’s Anatomy.

Uma das despedidas mais surpreendentes de Grey’s Anatomy foi a de Callie Torres, interpretada por Sara Ramirez. A médica deixou a série na décima segunda temporada.


Confira abaixo tudo sobre a saída de Sara Ramirez e por onde anda a atriz atualmente!

Saída inesperada

Normalmente, séries contam com um bom tempo para o planejamento da despedida dos personagens cujos intérpretes desejam deixar a produção. No caso de Callie Torres, no entanto, Shonda Rhimes só foi informada da intenção de Sara Ramirez meses antes de sua despedida.

Até hoje, o motivo verdadeiro da saída de Sara Ramirez permanece misterioso.

Por causa da decisão de Sara Ramirez, os roteiristas de Grey’s Anatomy foram obrigados a realizar modificações de última hora na trama da série, que ainda previa a presença da personagem.

Após deixar Grey’s Anatomy em sua décima segunda temporada, Sara Ramirez conseguiu um papel fixo na série Madame Secretary. No drama político, Ramirez viveu Kat Sandoval, a conselheira da Secretária de Estado interpretada por Tea Leoni. Assim como Callie Torres, a personagem também é bissexual.

Além disso, Sara Ramirez também é cantora. Ela já havia mostrado seu talento no episódio musical de Grey’s Anatomy, e lançou um álbum com canções originais.

Sara Ramirez também é bastante conhecida por sua militância em favor dos direitos dos LGBTQs. A atriz é integrante da mesa diretora das organizações The Task Force e True Colors United, além de trabalhar nos centros LGBTQ de San Diego, Nova York e São Francisco.

A atriz também apoia outros grupos, especializados na luta pelos direitos das pessoas bissexuais, como o BiNetUSA, o Bisexual Organizing Project, o Instituto Americano de Bissexualidade e a ONG mexicana Mujerez de Maiz.

Em 2015, Sara Ramirez ganhou o prêmio de “Aliada para a Igualdade”, dado pela Fundação dos Direitos Humanos.