Um professor de química educado e com câncer encontra um pequeno traficante de metanfetamina em algum lugar de Albuquerque. Eles se conectam e aprendem a cozinhar metanfetamina a partir de um trailer.

Juntos, eles constroem seu império das drogas, matando muitas pessoas ao longo do caminho.

Essa é a premissa de Breaking Bad, onde os químicos da Drug Enforcement Association deram ao programa uma verificação da realidade, ensinando Bryan Cranston e Aaron Paul a cozinhar metanfetamina.


Como a DEA ensinou os atores a cozinhar metanfetamina

O Observatório do Cinema apurou que a consultora científica de Breaking Bad, Donna Nelson, e os verdadeiros químicos da DEA ensinaram Bryan Cranston e Aaron Paul a cozinhar metanfetamina para que a série ficasse mais realista.

Afinal, os antecedentes químicos de Walter White prenunciavam que ele teria a mentalidade de cozinhar metanfetamina e questionar como torná-la a mais pura do mercado.

O produtor Vince Gilligan trouxe os químicos da DEA para garantir que Breaking Bad não se transformasse em um documentário científico sobre como cozinhar metanfetamina.

Eles orientaram o elenco a cada passo do caminho até a aparência dos laboratórios de metanfetamina, menos alguns ingredientes importantes que precisavam ser deixados de fora de toda a síntese da metanfetamina.

Por exemplo, não existe metanfetamina azul. Isso foi ficção que fez o público reconhecer que a metanfetamina azul de Walter White o diferenciava de qualquer outro revendedor.

No Brasil, Breaking Bad está disponível na Netflix.