La Casa de Papel começou como uma série em canal aberto da Espanha e foi um sucesso instantâneo. Conforme o tempo passou, no entanto, a audiência começou a cair.

Ao término da segunda temporada, o elenco chegou a se despedir, preparados para seguirem para novas empreitadas, visto que tinha sido decidido que o seriado seria cancelado. A Netflix, no entanto, salvou La Casa de Papel.

Conforme é mostrado no documentário La Casa de Papel: El Fenómeno (disponível na Netflix), a plataforma de streaming foi essencial para a sobrevivência da série a continuação da história do Professor (Alvaro Morte).


“Nossa história começa em 2017, em um canal aberto espanhol, Antena 3. Começamos bem, com 4,5 milhões de espectadores. Mas…”, começa o narrador do documentário sobre La Casa de Papel.

“A primeira temporada se saiu muito bem, especialmente no começo, mas a audiência gradualmente começou a cair na segunda temporada”, explicou o produtor Jesús Colmenar.

“Caiu pela metade”, continua Miguel Herran, interprete de Rio em La Casa de Papel.

Do cancelamento ao sucesso

O narrador continua, explicando o que salvou a série de seu cancelamento.

“Então a Netflix chega e compra essas temporadas para exibi-las no resto do mundo”, diz a narração.

“Não acho que nós, da Netflix, ou qualquer outra pessoa, esperava… qualquer coisa. Na realidade, foi lançado sem propagandas”, disse o criador da série, Alex Pina.

Eventualmente, La Casa de Papel acabou se tornando uma das séries mais populares da atualidade.

Ainda não há previsão de lançamento para a próxima temporada de La Casa de Papel. As quatro temporadas já lançadas estão disponíveis na Netflix.