Dark: Explicamos o complexo final da última temporada da série da Netflix

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Alerta de spoilers!

Dark conseguiu dar nós na cabeça de muita gente ao longo de
suas três temporadas. Agora que a série da Netflix acabou, vamos revisitar seu
final, para entender melhor o que aconteceu.

Claudia Tiedemann é quem revela ser uma das heroínas da temporada. Não apenas ela consegue se distanciar de Adam e Eva, como também descobre como quebrar o ciclo e acabar com o loop temporal de vez.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Tudo isso começa quando Claudia percebe que estava sendo manipulada por Eva, no penúltimo episódio de Dark.

Ao longo das duas primeiras temporadas, Claudia batalhou
contra Adam. E no início desse ano final da série, é revelado que a razão pela
qual os dois estão em lados opostos é que Eva promete a Claudia que ela salvará
Regina e todos em Winden do apocalipse.

Então, um dia, Claudia se lembra que sua versão mais velha disse, “se tudo der certo, Regine vai viver”, o que não acontece enquanto ela ajuda Eva preservar o nó. Nesse momento, ela percebe que Eva está a usando.

Quebrando o ciclo

Na tentativa de quebrar esse ciclo temporal, Claudia A mata
Claudia B, que estava a guiando esse tempo todo e assume sua identidade para se
infiltrar no universo de Eva.

É nesse ponto que Claudia finalmente descobre que, minutos antes do apocalipse, há uma fração de segundo em que o tempo fica parado. Isso permite qualquer um escapar do ciclo, criando duas realidades no mesmo universo.

Ainda que Adam não saiba nada sobre isso, Eva utiliza esse
conhecimento para enviar uma Martha em uma direção, e outra por um caminho
diferente.

Claudia, por sua vez, se aproveita disso e faz a mesma coisa
com Eva, mandando a versão de meia idade da personagem em duas jornadas: uma
delas será morta por Noah, enquanto a outra vai parar onde ela está agora.

Claudia também percebe que esses dois mundos não deveriam
existir. Eles são na verdade um erro criado por HG Tannhaus no mundo original.
Quando ele tentou inventar o primeiro dispositivo para viajar no tempo, ele
acabou dividindo o mundo em três – o universo original, o de Eva e o de Adam.

A única forma de destruir esse ciclo temporal, portanto, é
prevenindo que Tannhaus crie o dispositivo, o que acontece em razão das mortes
de seu filho, sua nora e sua neta em um acidente de carro.

Claudia explica tudo isso para Adam, para que ele possa guiar Jonas e Martha até o mundo original, prevenindo esse acidente de carro.

O sacrifício

Jonas e Martha, então, vão para o Universo original através
da passagem na caverna a fim de completar essa missão final, mas há um grande
problema: se eles prevenirem o acidente de carro e a criação desse dispositivo
de viagem no tempo, todos aqueles que nasceram no ciclo temporal deixarão de
existir no mundo original.

Isso, é claro, inclui tanto Charlotte, quanto Noah, além de
muitos outros. É um grande sacrifício, mas a única forma de prevenir todo o
sofrimento de seus amados, incluindo suas mães, Hannah e Katharina.

No fim, Jonas e Martha fazem a escolha certa e previnem o
acidente de carro, que teria inspirado Tannhaus a inventar o dispositivo de
viagem no tempo. Por causa disso, ele e todas as pessoas que fazem parte dos
nós desaparecem lentamente em uma cena angustiante.

Mas esse não é o fim exatamente. Antes dos créditos finais
rolarem, vemos uma Hannah gravida – casada com Wöller no mundo original – jantando
com Katharina, Peter Doppler, Regina e Benni.

Juntos eles falam sobre dèjà vu e nesse ponto Katharina
pergunta a Hannah qual será o nome de seu bebê. Ela responde, “acho que Jonas é
um nome lindo”.

De fato um ótimo final para essa complexa e épica história.

Todas as temporadas de Dark estão disponíveis na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio