Mesmo com participações mais rápidas, alguns personagens marcam as séries. Esse é o caso de Shane em The Walking Dead, que é morto na 2ª temporada.

A história do personagem é marcante. Shane é o parceiro de Rick Grimes na polícia.

Quando o protagonista fica em coma, Shane cuida da esposa de Rick, Lori, e do filho deles, Carl. Mas, o xerife consegue se recuperar e volta para família, em um momento que o parceiro dele tinha se apaixonado por Lori.


Com a volta do personagem de Andrew Lincoln, Shane começa a ficar irritado com ele. Tanto que tenta matá-lo.

Na briga dos dois, Carl pega uma arma e mata Shane. O vilão ainda volta como um zumbi e força Rick a matá-lo mais uma vez.

O arco de Shane foi maior que nos quadrinhos. Até por isso, alguns achavam que The Walking Dead poderia deixá-lo vivo, por ter se tornado um bom personagem da série.

O showrunner da 2ª temporada, Glen Mazzara, revelou o motivo de matar Shane nesse momento da série.

A morte de Shane

Para Mazzara, a morte de Shane se tornou “necessária” para o quadro maior de The Walking Dead. Rick Grimes precisava matar o amigo para se tornar o líder que deveria ser.

O ato foi uma parte fundamental do crescimento de Rick na série. Com Shane vivo, o personagem nunca teria a liderança total.

Além disso, o showrunner acredita que manter Shane na série daria mais dificuldades aos sobreviventes no arco do Governador. O comportamento do parceiro de Rick colocaria os personagens em perigo de forma natural.

Assim, a morte de Shane pode ser colocada como uma escolha natural para o desenvolvimento da história.

The Walking Dead está em hiato da 10ª temporada por causa do coronavírus (COVID-19). A série ainda precisa exibir o capítulo final.

No Brasil, o seriado é exibido pela Fox.