Erik Kripke, criador de Supernatural, deixou a série após a quinta temporada. Mas fica a questão: por que ele deixou o comando do seriado?

Lançada lá em 2005, Supernatural foi uma das poucas séries a sobreviver a fusão da The WB com a UPN, para se tornar a The CW, em 2006.

Para muitas séries, a saída de seu showrunner e criador indicaria seu fim, mas o seriado não estava nem na sua metade nesse ponto.


Considerando que Supernatural começou como dois irmãos na estrada salvando pessoas e caçando criaturas ou assombrações, a série se tornou bastante épica, ao passo que os Winchester foram de encontro à Morte, Lucifer e até Deus.

Depois de quinze temporadas, finalmente chegou a hora de Sam e Dean se aposentarem. Infelizmente, graças ao novo coronavírus, a série está em hiato, sem previsão de retorno.

Por que Kripke saiu?

Em entrevista à EW, o criador e ex-showrunner de Supernatural disse que “sentiu que estava na hora certa”.

A CW queria que Supernatural continuasse, enquanto que Kripke considerou o episódio final da quinta temporada como o fim de sua história. Afinal, após derrotar Lucifer, o que mais eles poderiam fazer?

Com isso, Kripke saiu de seu cargo, dando oportunidade para outras pessoas continuarem a história dos Winchester. Ele também citou a paixão de Sera Gamble, sua sucessora como showrunner.

“Acho que depois de cinco anos das minhas m*rdas, ter alguém com uma nova perspectiva e mais energia para esses personagens e esse universo é bem saudável para a série”, disse Kripke.

O criador de Supernatural ainda permaneceu na produção como roteirista e produtor executivo da sexta temporada e, posteriormente, se tornou consultor executivo.

Desde então, a série teve inúmeros outros showrunners: Gamble, Jeremy Carver, Robert Singer e Andrew Dabb.

Supernatural está na 15ª e última temporada, exibida pela Warner Channel. As demais temporadas estão disponíveis na Amazon Prime Video.