A gigantesca audiência de The Walking Dead começou a cair depois da quinta temporada e inúmeros fatores podem ter sido responsáveis. Agora vamos mergulhar em alguns dos pontos que possivelmente foram responsáveis por esse declínio.

Muitas críticas à The Walking Dead da sexta temporada em diante dizem respeito ao arco dos Salvadores, grupo liderado por Negan.

A aparição do vilão vivido por Jeffrey Dean Morgan foi adiada consideravelmente e a série foi preenchida por muitos episódios fillers. Não bastasse isso, demorou duas temporadas e meia para Rick finalmente vencer o antagonista.


Para piorar, quando isso aconteceu, o desfecho foi bastante anticlimático. Esse arco arrastado certamente influenciou bastante a queda de audiência da série.

Violência gratuita

Além disso, The Walking Dead trouxe a morte de alguns personagens importantes que chocaram a audiência, incluindo Abraham (Michael Cudlitz) e Glenn (Steven Yeun).

A pior dessas mortes, contudo, foi a de Carl (Chandler Riggs), que muitos acreditavam ser o substituto de Rick no futuro da série.

Não bastasse isso, o uso de violência gráfica em excesso perturbou bastante gente, especialmente a morte de Glenn em si, que chegou a gerar revolta nas redes sociais na época.

Outro motivo a ser considerado é a falta de foco de Scott Gimple, showrunner até ser substituído por Angela Kang na nona temporada. Muitos enxergaram que Gimple priorizou o choque ao invés da substância, focando mais nas reviravoltas do que na qualidade da história em si.

Em todo caso, muitos dos problemas apresentados foram resolvidos quando Angela Kang assumiu o comando de The Walking Dead.

Atualmente a série está suspensa em razão da pandemia do COVID-19. Não há data para o retorno de The Walking Dead.