O romance de Nancy Wheeler e Jonathan Byers finalmente se concretizou na terceira temporada de Stranger Things. Infelizmente, isso não durou muito, visto que os Byers se mudaram ao término da temporada.

Agora, em entrevista ao Netflix Queue, os intérpretes dos dois personagens, Natalia Dyer e Charlie Heaton falaram sobre o futuro de Nancy e Jonathan.

“Acho que Nacy está solitária”, disse Dyer. “Com Jonathan indo embora, de quem ela pode se aproximar? São os anos 1980, então não é como se você pudesse ligar pelo Skype ou FaceTime”.


“É uma grande separação. Parece o fim de uma era. Mas esse instinto da Nancy, essa curiosidade e determinação, acho que é parte da sua personalidade. El não vai esquecer dessa parte dela. Consigo realmente ver isso indo adiante”, continuou a atriz.

Charlie Heaton concordou com a atriz, deixando claro que o casal de Stranger Things vai passar por dificuldades.

“Há essa distância agora e a distância é algo difícil em um relacionamento”, disse o ator.

“Jonathan e Nancy sempre estiveram na mesma equipe e os dois têm os mesmos objetivos”, disse Heaton. “Ambos desafiam um ao outro também. Eles conseguem entender pelo que o outro passou. Essa é a primeira vez que você vê Jonathan e Nancy em um relacionamento de verdade, vocês veem como isso é. Mas eles também estão nesse ambiente de trabalho, que começa a mostrar as diferenças sociais”.

Resta aguardar para saber qual será o futuro do casal de Stranger Things.

Polêmica

Recentemente, a intérprete de Nancy, Natalia Dyer, estrelou um filme bastante polêmico.

Yes, God, Yes é um filme cujo próprio conceito já evoca polêmica, ao lidar com o sexo utilizando uma garota católica como protagonista, em uma história sobre amadurecimento. O filme tem sido bastante elogiado.

A trama gira em torno de Alice (Natalia Dyer), uma adolescente americana e católica fervorosa. Em um chat online ela descobre sobre masturbação e passa a ser consumida por culpa, buscando a redenção divina.

O filme lida com questões como o desejo e vontades reprimidas, enquanto choca as necessidades de uma jovem adolescente com pensamentos conservadores católicos.

A crítica tem elogiado bastante Yes, God, Yes, que marca a estreia na direção de Karen Maine, roteirista de Entre Risos e Lágrimas, que também agradou os críticos.

O filme estreou, nos EUA, em 24 de julho de 2020, mas ainda não há data para chegar aos cinemas do Brasil.