Stranger Things rapidamente tornou-se uma sensação na Netflix, transformando-se em uma das mais populares séries da plataforma.

Naturalmente que isso significa que muitos dos atores foram catapultados ao estrelato do dia para a noite e Natalia Dyer revelou que não sabe muito bem lidar com essa fama – e não podemos culpá-la, é claro, ninguém é obrigado a ser extrovertido, independente da profissão.

Em entrevista à InStyle, Dyer revelou que, quando os fãs pedem para tirar selfies com ela, a atriz educadamente recusa, oferecendo conversar com eles ao invés disso.


“Algumas fezes, o que eu quero dizer é: isso é para minha saúde mental”, explicou a atriz de Stranger Things. “Eu sempre soube que prefiro conversar com um fã, do que tirar fotos – parece algo a ser vendido, de certa forma. Para ambos, que interagimos, eu fico tipo, ‘isso vai ser muito melhor, eu prometo”.

“Algumas pessoas são ótimas [como figuras públicas]”, acrescentou Dyer. “Algumas pessoas amam isso e são boas nisso e isso é ótimo. Eu invejo isso algumas vezes, mas não sei”.

Realmente, ter uma conversa significativa com alguém vale mais do que simplesmente tirar uma foto.

Papel diferente

Recentemente, Natalia Dyer seguiu para um papel bem diferente do seu em Stranger Things, no filme Yes, God, Yes.

Yes, God, Yes é um filme cujo próprio conceito já evoca polêmica, ao lidar com o sexo utilizando uma garota católica como protagonista, em uma história sobre amadurecimento. Com Natalia Dyer, de Stranger Things, da Netflix, o filme tem sido bastante elogiado.

A trama gira em torno de Alice (Natalia Dyer), uma adolescente americana e católica fervorosa. Em um chat online ela descobre sobre masturbação e passa a ser consumida por culpa, buscando a redenção divina.

O filme lida com questões como o desejo e vontades reprimidas, enquanto choca as necessidades de uma jovem adolescente com pensamentos conservadores católicos.

A crítica tem elogiado bastante Yes, God, Yes, que marca a estreia na direção de Karen Maine, roteirista de Entre Risos e Lágrimas, que também agradou os críticos.

O filme estreou, nos EUA, em 24 de julho de 2020, mas ainda não há data para chegar aos cinemas do Brasil.