The Walking Dead já trouxe muitas mudanças em relação aos quadrinhos originais de Robert Kirkman, incluindo a morte de importantes personagens.

Agora, em sessão de perguntas e respostas organizada pelo Hey Fandom!, o autor de The Walking Dead comentou sobre essas diferenças entre a série e os quadrinhos.

“Foi muito empolgante trabalhar com sete roteiristas profissionais, todos em uma sala rasgando meus quadrinhos”, brincou Kirkman.


“Parece um pesadelo, mas foi ótimo e muito recompensador ver eles discutindo coisas como , ‘essa história funcionou por causa disso e podemos mudar isso por causa daquilo, e isso funcionou muito bem, então vamos melhorar acrescentando isso’”, continuou o autor.

Para Kirkman, que terminou os quadrinhos de The Walking Dead em 2019, após dezesseis anos e 193 edições, tudo foi “uma ótima experiência de aprendizado”.

Muitas mudanças

O autor ainda disse que teve de guiar o progresso da série em algumas ocasiões, visto que os leitores esperavam ver certos momentos nas telinhas.

“Há momentos em que eu dizia, ‘okay, precisamos manter isso bem fiel’ e todos concordavam. Não queria que os fãs achassem que eu era um maluco acabando com meu material”, disse Kirkman.

Robert Kirkman também falou sobre as mortes inesperadas na série, principalmente aquelas que se diferenciam dos quadrinhos.

“Tiveram muitas vezes em que eu dizia, ‘mate eles, vai ser ótimo. Eram grandes personagens nos quadrinhos, mas isso vai impactar as pessoas se eles morrerem depois de dois episódios. Vai ser hilário, vamos fazer isso’”, revelou o autor de The Walking Dead.

O autor chegou a defender a morte de Carl anteriormente, o que muitos consideraram uma manobra errada da série, visto que o personagem sobrevive até o final dos quadrinhos.

Em todo caso, vamos ver o quanto The Walking Dead vai se distanciar da obra original nas próximas temporadas.

Atualmente, a décima temporada da série está com exibição suspensa. O episódio final desse décimo ano de The Walking Dead deve ir ao ar ainda em 2020.