Cursed – A Lenda do Lago é mais uma dentre muitas séries de fantasia que ganharam espaço na televisão nos últimos anos. Existe um elemento em específico, no entanto, que a destaca no meio de produções como The Witcher, com Henry Cavill, e Game of Thrones.

A série faz um ótimo trabalho em trazer representatividade para a telinha, colocando um ator negro em papel especialmente importante: Rei Arthur.

Quando a estrela de Cursed, Devon Terrell se envolveu com o projeto incialmente, ele não entendeu por que os produtores o incentivaram a fazer uma audição para o papel do Rei Arthur.


“Isso não faz sentido”, disse Terrell ao Digital Spy. “Não sei por quê. Não faz sentido nem tentar”.

Ele, no entanto, acabou tentando e conseguiu o papel, que tradicionalmente é dado para atores brancos. A razão para isso é relacionada às raízes britânicas de Arthur, mas isso não é desculpa para uma série de fantasia.

O que importa é que o ator escolhido seja certo para o papel e Terrell disse que isso foi reiterado a ele durante todo o processo de escolha do elenco, com produtores dizendo para ele o que eles queriam.

“Queremos encontrar a melhor pessoa. É isso que queremos”, disse o ator ao Digital Spy, falando sobre a produção de Cursed.

“Se alguém consegue acreditar em uma espada mágica, por que as pessoas estranham que um ator negro interprete esse papel icônico?”, disse Terrell.

Game of Thrones e a representatividade

O ator ainda disse que sempre foi seu “sonho” estrelar um projeto de fantasia, como O Senhor dos Anéis, ou Harry Potter.

“Mas o que eu sempre enxerguei foi que, mesmo em Game of Thrones, nunca consegui me enxergar nesse mundo, porque nunca me enxerguei como sendo parte importante de nosso mundo, um componente chave do nosso mundo”, disse o ator de Cursed.

De fato, quando se trata de Game of Thrones, a série está longe de ser inclusiva quando se trata do seu elenco. Podemos contar nos dedos os atores negros que participaram em papéis de destaque na série, cujo elenco é predominantemente branco.

Para piorar, dois atores não brancos da série, que ganharam mais destaque com o passar dos anos, vivem personagens ex-escravos, o que realmente não ajuda Game of Thrones.

O problema de The Witcher

The Witcher, superou Game of Thrones ao trazer mais atores e atrizes negros, mas acaba criando outros problemas, como toda a questão envolvendo a capacidade de Yennefer de ter filhos.

Outro ponto de The Witcher é que não há sequer um personagem LGBTQIA+, enquanto Cursed introduz uma personagem queer não-branca, Morgana. Dessa forma, a nova série de fantasia da Netflix supera o programa com Henry Cavill mais uma vez.

“Diversidade na indústria está nas bordas; você pode cortar esse personagem da história e as pessoas não ligariam. O que é triste é que esses personagens são cortados das histórias muitas vezes nesses mundos”, disse Terrell.

Esperamos que Cursed – A Lenda do Lago sirva como inspiração para outros filmes e séries.

Representatividade é obrigação nos dias atuais e não há desculpas para não escalar atores e atrizes negros, latinos, asiáticos, ou de outras etnias, além de pessoas LGBTQIA+.

A primeira temporada de Cursed está disponível na Netflix.