O ator de The Walking Dead, que virou diretor, Michael Cudlitz, chamou todas as interpretações da relação entre os melhores amigos de longa data Daryl (Norman Reedus) e Carol (Melissa McBride) de “válidas”, mas ele não espera que um romance surja entre eles.

Como diretor, Cudlitz reuniu Daryl e Carol no episódio da nona temporada “Stradivarius” – onde Carol pediu a Daryl para cuidar de seu filho, Henry (Matt Lintz), antes de cortar o cabelo do amigo – e no episódio da décima temporada “Silence the Whisperers”, onde Daryl foi visto deixando uma bandeja de comida para Carol retirada, após um lembrete assustador da morte de seu filho.

“Eu vejo da maneira que vejo. Eu os vejo como espíritos afins por causa do que eles passaram”, disse Cudlitz ao podcast Talk Dead to Me da Skybound.


Apenas amigos

“Pessoalmente, não vejo um romance, vejo uma amizade amorosa. Não vejo pessoalmente um relacionamento. Outros o fazem, e acho isso ótimo.”

Quanto ao fato de existirem telespectadores de The Walking Dead que preferem acreditar que existe um romance entre os dois amigos, Cudlitz disse que está “tudo bem”.

“Já me perguntaram o que eu queria dizer com determinada cena, qual era o significado dela. Eu nunca descarto nada, porque cada pessoa tem a sua experiência”, disse.

“Todas as experiências são válidas. Por que eu estragaria a experiência do público? Acho que todas as interpretações são ótimas e corretas.”

The Walking Dead já foi renovada para a décima primeira temporada, mas ainda não há data de lançamento.