Quando Grey’s Anatomy teve que terminar a 16ª temporada sem o final planejado, uma coisa era certa. A série médica mudaria a trama do 17° ano.

A produção confirmou que o final original da 16ª temporada foi descartado. Isso até salvou a vida de um personagem, que não teve a identidade revelada.

Como se sabe, a interrupção da 16ª temporada aconteceu por causa da pandemia do coronavírus (COVID-19). Grey’s Anatomy, como outras séries, não teve condições de encerrar as gravações.


Agora, a série usará esse cenário como inspiração para 17ª temporada. Para Entertainment Weekly, a showrunner Krista Vernoff confirmou que a pandemia do coronavírus será uma trama de Grey’s Anatomy.

“Nós vamos com certeza abordar essa pandemia. Não há como ser um drama médico e não contar a história médica de nossas vidas”, declarou a chefe do seriado.

Inspiração na vida real

Krista Vernoff também comentou que os roteiristas estão conversando com médicos envolvidos na luta contra pandemia. Muitas histórias ouvidas devem ser levadas para a telinha em Grey’s Anatomy.

A chefe da série afirma que essas conversas são comuns, mas focadas em histórias “malucas e engraçadas”. Porém, dessa vez, a situação é outra.

“Parece mais uma terapia. Eles chegam e nós somos as primeiras pessoas que eles conversam. Eles tremem, tentam não chorar, ficam pálidos e falam como se fosse uma guerra – uma guerra que eles não foram treinados para lutar”, contou a showrunner.

Krista ligou a situação com o personagem Owen, que tem uma espécie de experiência para guerra. Enquanto isso, outros médicos não tem o mesmo conhecimento. Esse deve ser um dos temas em Grey’s Anatomy.

“Nossas conversas estão sendo sobre como podemos manter vivos o humor e o romance enquanto temos essas histórias devastadoras”, completou a escritora.

Grey’s Anatomy ainda não tem previsão para lançar a 17ª temporada. No Brasil, o seriado é exibido pelo canal Sony.