Parte do que diferenciava o Mistérios sem Solução original era o fato da série pedir ajuda aos espectadores.

De fato, a nova série da Netflix já inspirou vários espectadores a entrarem em contato com as autoridades para darem suas opiniões nos casos explorados ao longo dos seis episódios de Mistérios Sem Solução.

Outros documentários na plataforma de streaming, como Making a Murderer, incitem a especulação em seus espectadores.


Mistérios Sem Solução chega a dar recursos ao término de cada capítulo aos espectadores, na esperança de trazer mais respostas sobre os incidentes.

Ajuda nas investigações

Em entrevista ao USA Today, o produtor executivo Terry Dunn Meurer disse que a equipe recebeu informações dos espectadores dias após a disponibilização dos seis primeiros episódios na Netflix.

Ela notou, no entanto, que a produção não é encarregada de qualquer tipo de investigação, dizendo “passamos as informações para as autoridades apropriadas. Foram só 24 horas. Esperamos que muitas pessoas que ainda não assistiram talvez o façam neste final de semana, e que tragam mais pistas”.

A série original de Mistérios Sem Solução foi lançada em 1987 e muito mudou desde então, incluindo o acesso em massa à Internet, o que pode ajudar nas investigações.

Enquanto que ambas as séries encorajam o espectador a contatar as autoridades, caso tenham informações pertinentes, a nova não tem um narrador.

“Tivemos de tomar uma decisão difícil: deveríamos ter um apresentador? Decidimos que seria impossível colocar alguém no lugar de Bob”, disse Meurer.

Os primeiros seis episódios de Mistérios Sem Solução já estão disponíveis na Netflix.