Uma série de TV pode fazer o ator ter um enorme aumento salarial em um período considerável de tempo. Para isso, é necessário que a atração faça muito sucesso.

Game of Thrones pode dizer que é uma dessas séries. Por isso, o aumento salarial que Peter Dinklage, o Tyrion, teve é realmente um bom exemplo de como pode funcionar uma produção lucrativa.

Na 1ª temporada, o veterano ator tinha um salário de US$ 150 mil por episódio. Não é um valor baixo para uma produção que acabava de chegar na TV.


Aos poucos, Game of Thrones começou a ter uma audiência cada vez maior. Em poucas temporadas, isso fez o salário de Peter Dinklage dobrar para US$ 300 mil por episódio.

Porém, esse seria apenas o primeiro aumento. Em 2017, o famoso teve mais ganhos com Game of Thrones: o salário subiu para US$ 500 mil.

Se o aumento já é incrível, na 8ª e última temporada foi realmente enorme. De US$ 150 mil do início de Game of Thrones, o ator de Tyrion passou a ganhar US$ 1 milhão por capítulo para fechar o programa.

Isso é algo que poucos atores conseguem. Além disso, pode ser um ponto de colocar mais pressão e responsabilidade nas derivadas que Game of Thrones ganhar.

Game of Thrones terá derivada

Uma derivada de Game of Thrones está confirmada. House of the Dragon será uma produção da HBO Max.

A trama seguirá a linhagem dos Targaryen 300 anos antes de Game of Thrones, tendo sua história adaptada do livro Fogo e Sangue.

House of the Dragon foi encomendada diretamente como série, sem precisar da aprovação do piloto. A primeira temporada terá 10 episódios.

Miguel Sapochnik, diretor de episódios importantes de Game of Thrones, será o co-showrunner e ficará na direção do piloto. O projeto começou a ser desenvolvido por outro veterano da série original, o escritor e produtor Bryan Cogman.

House of the Dragon não tem previsão anunciada de estreia. Enquanto isso, Game of Thrones está disponível na HBO Go.