Os fãs de Avatar: A Lenda de Aang criaram uma petição após a saída dos criadores do desenho original, Michael DiMartino e Bryan Konietzko. A dupla deixou a série em live-action da Netflix recentemente.

A notícia de que Avatar: A Lenda de Aang ganharia uma versão em live-action preocupou os fãs, mas o envolvimento de DiMartino e Konietzko os tranquilizou. A saída dos dois, portanto, acabou motivando a criação dessa petição.

Criada no Change, a petição pede por “representação cultural e idades apropriadas”, na série em live-action da Netflix. O texto explica que os fãs estão preocupados que atores brancos sejam escalados como para viver personagens asiáticos e inuítes.


Além disso, aponta problemas com o desenho original de Avatar: A Lenda de Aang, incluindo a “sutil insensibilidade em relação a certos assuntos (Lago Laogai e o genocídio no Tibete) e estereótipos negativos (contra árabes, muçulmanos, etc)”. A petição explica como a saída dos criadores pode aumentar esses problemas.

Além disso, os fãs pedem que os personagens sejam retratados na mesma idade que no desenho, com atores refletindo essa característica da obra.

Atualmente, a petição conta com mais de 15 mil assinaturas, então é bastante claro que muitos fãs concordam com tais questões. De fato, são questões que merecem atenção e a Netflix precisa ficar atenta a tais detalhes.

Recentemente, em publicações separadas nas redes sociais, DiMartino e Konietzko informaram que estavam deixando a produção do live-action de Avatar: A Lenda de Aang para trás.

“Quando a Netflix me trouxe a bordo para comandar essa série junto de Mike [DiMartino], há dois anos, eles fizeram uma promessa bem pública de apoiar nossa visão”, escreveu Konietzko. “Infelizmente, eles não cumpriram essa promessa”.

Com isso, a Netflix liberou o seguinte comunicado: “Temos completo respeito e admiração por Michael e Bryan e a história que eles criaram na série animada Avatar: A Lenda de Aang. Por mais que eles tenham escolhido deixar o projeto em live-action, estamos confiantes na equipe criativa e sua adaptação”.

DiMartino, por sua vez, também deixou bem claro que a Netflix não seguia a visão dele e do co-criador de Avatar: A Lenda de Aang.

“A Netflix disse que estava comprometida em honrar nossa visão para essa releitura e que nos apoiaria na criação da série. E expressamos nossa empolgação pela oportunidade de estar no comando. Infelizmente, as coisas não seguiram como esperávamos”.

Konietzko foi bem mais direto em sua publicação no Instagram:

“A forma geral como o projeto foi conduzido criou o que senti ser um ambiente negativo e sem suporte”, escreveu Konietzko

DiMartino continuou na sua publicação: “Eu percebi que não podia controlar a direção criativa da série, mas poderia controlar como eu responderia a isso. Então escolhi deixar o projeto. Foi a decisão profissional mais difícil que tive de fazer e certamente não fiz isso sem pensar, mas foi necessário para minha felicidade e integridade criativa”.

Resta aguardar para saber qual será o resultado dessa série em live-action de Avatar: A Lenda de Aang.

O seriado continua em produção na Netflix.