Giacomo Gianniotti, o Dr. Andrew DeLuca de Grey’s Anatomy, confirmou que a décima sétima temporada da série terá um pequeno salto temporal para colocar a trama no meio da pandemia do novo coronavírus.

A 16ª temporada de Grey’s Anatomy foi encerrada de forma abrupta em razão da pandemia. Recentemente, a showrunner Krista Vernoff anunciou que o 17º ano lidaria com o coronavírus e a produção já entra em contato com médicos para aprender sobre essa batalha diária dos profissionais de saúde.

Em entrevista à EW, Giacomo Gianniotti revelou que Grey’s Anatomy vai estar já “um mês e meio dentro da pandemia de COVID”. E que a história da nova temporada vai começar com um pequeno salto temporal, em relação ao ano anterior.


Gianniotti espera que as gravações de Grey’s Anatomy retornem em setembro. Além disso, o ator falou sobre a possibilidade da série abordar os protestos iniciados após o assassinato de George Floyd.

Considerando que Grey’s Anatomy já lidou com questões relacionadas a violência doméstica, corrupção policial, direitos de pessoas trans e saúde para mulheres negras, seria bem lógico que a nova temporada lidasse com os protestos de 2020.

Ainda assim, esse salto temporal preocupa os fãs, que esperavam ver a resolução de algumas subtramas, como a separação de Meredith e Andrew, além do relacionamento de Teddy e Owen.

O jeito é aguardar para saber como a pandemia de COVID-19 será introduzida na trama.

A pandemia em Grey’s Anatomy

Em uma recente entrevista à um podcast, a showrunner Krista Vernoff confirmou oficialmente que a próxima temporada da série vai lidar com a temática da pandemia.

“Vamos falar sobre a COVID, com certeza! Somos o drama médico mais duradouro de todos os tempos, e não podemos deixar de falar da história médica mais importante de nossas vidas”, contou Vernoff.

A produtora também revelou alguns detalhes sobre a história.

Owen Hunt estará no centro da trama, as do um dos médicos mais bem treinados do hospital. Ele vai liderar os outros médicos em um ambiente cada vez mais lotado.

“Os médicos começam a lidar com essa grande quantidade de pessoas, com sintomas terríveis… Eles estão literalmente tremendo e tentando não chorar. Eles ficam pálidos, como se estivessem em uma guerra, uma guerra para a qual não foram treinados”, afirmou a showrunner.

No entanto, um aspecto da pandemia não deve ser mostrado na nova temporada de Grey’s Anatomy: as pessoas que se recusam a usar máscaras de proteção.

“Não acho que isso é um debate político. Não temos planos em falar sobre os anti-máscaras, algo que parece uma estranha distração à realidade terrível que acontece em nosso país. É como se as pessoas tivessem uma deficiência cognitiva. Eles não querem acreditar que o país está nessa situação, que o vírus está matando tantas pessoas”, esclareceu Krista Vernoff.

A décima sétima temporada de Grey’s Anatomy ainda não tem data de estreia.