Com um mercado de streamings cada vez mais concorrido, a Netflix faz o que pode para continuar na liderança. A plataforma investe bilhões de dólares em conteúdo original todos os anos, objetivando dar aos fãs inúmeras opções de filmes e séries.

Ao se tornar cada vez mais presente na vida do povo, a Netflix começa a investir em novas funções e potencialidades, que podem ajudar a melhorar ainda mais a experiência do público.

Uma nova configuração da plataforma, anunciada recentemente, pode no entanto trazer grandes problemas e uma enorme polêmica para a Netflix.


Confira abaixo tudo sobre essa história!

Função aleatória

A Netflix está atualmente testando um botão de “reprodução aleatória”, com a função de escolher filmes e séries para os assinantes de forma randômica.

Como o catálogo da Netflix é enorme, a plataforma já havia criado ferramentas para facilitar a experiência dos usuários. Entre elas, se destacam a lista dos filmes e séries mais assistidos, as recomendações pessoais, entre outras.

O experimento aleatório, que está sendo testado em TVs de alguns países, baseia as escolhas em conteúdos que o assinante já assistiu previamente. Sendo assim, o título de “aleatório” não é exatamente correto, já que o algoritmo sempre vai priorizar materiais parecidos com filmes e séries já vistos.

A nova função vem sido criticada por fechar os usuários em seus próprios prismas narrativos estreitos, não oferecendo a possibilidade de maneiras diferentes de entretenimento.

Em outras palavras, a nova função opera servindo os usuários com mais do mesmo, ao invés de tenta-los com novos projetos, e é exatamente este o problema.

“Câmara de ecos” é um termo usado principalmente em relação à política, porém também faz sentido no que se refere à cultura. Ao invés de atuar para oferecer conteúdos diferentes e novas perspectivas, a função aleatória apenas repetirá as mesmas ideias e ideologias.

O algoritmo da Netflix já é conhecido por “enterrar” filmes e séries interessantes. É por isso que projetos excelentes da plataforma acabam cancelados. Sem divulgação, as pessoas simplesmente não encontram estes conteúdos, e a função aleatória tem tudo para aumentar ainda mais essa segregação.

A função aleatória da Netflix ainda não tem previsão de estreia no Brasil.