O produtor de The Umbrella Academy realmente não quer “fazer algo como Game of Thrones”, descartando qualquer ideia de “passar na frente” do material de origem no qual a série se baseia.

Assim como o seriado de fantasia da HBO, a série de super-heróis da Netflix é baseada numa obra conhecida. No caso, trata-se da história em quadrinhos de mesmo nome de Gerard Way e Gabriel Ba.

Mas enquanto Game of Thrones “passou na frente” dos livros de George R. R. Martin (que, aliás, ainda não chegaram ao fim), o final da segunda temporada de The Umbrella Academy introduziu a Sparrow Academy, que desempenhará um papel importante na próxima fase dos quadrinhos.


Ótima comunicação entre série e quadrinhos

Falando ao Comic Book, o produtor Steve Blackman revelou que o relacionamento próximo que ele mantém com Way e Ba significa que as coisas não perderão o rumo.

“Eu sou muito próximo de Gerard e Gabriel, então eu os apresento a temporada antes mesmo das gravações, deixe-os saber o que estou fazendo”, revelou o produtor.

“Eles são muito gentis e estão me mostrando para onde estão indo nos próximos volumes dos quadrinhos, e as duas mídias estão meio que se cruzando agora.”

“Às vezes sugiro ideias que deveriam ser introduzidas nas histórias em quadrinhos. Há outras coisas que eles me alertam para não fazer na série.”

No geral, Blackman disse que tem “um bom senso de para onde estão indo”.

“Tenho uma ideia de para onde quero ir, mas não quero passar na frente deles”, concluiu o produtor da série.

The Umbrella Academy recebeu uma segunda temporada recentemente, e embora possa ter preparado o palco para uma potencial terceira temporada, alguns espectadores criticaram o programa por uma cena em que a Manipuladora (Kate Walsh) falava iídiche.

Blackman se manifestou contra as acusações de que era antissemita, classificando-as como “factualmente incorretas e prejudiciais”.

A segunda temporada de The Umbrella Academy já está disponível na Netflix.