Hilary Swank é grata todos os dias pela capacidade de contar histórias em seu ofício como atriz.

“É um presente que recebi, ser uma contadora de histórias”, disse Swank à People.

“Eu não poderia ser mais abençoada. Eu literalmente consigo viver de jeitos diferentes com cada trabalho que eu consigo.”


“Isso me enriquece como pessoa de muitas maneiras – abre as cortinas de como vejo o mundo.”

Com seu novo papel, como comandante de uma nave espacial com destino a Marte, Swank tem uma visão totalmente nova do mundo.

Em Away da Netflix, Swank se junta à Iniciativa Conjunta de Marte, uma equipe internacional que realiza uma viagem de três anos ao planeta vermelho. Assista Swank treinando como uma astronauta em uma visita à NASA no vídeo abaixo, compartilhado pela Netflix no YouTube.

Papel na Netflix

Embora seja uma série cheia de ação e drama, Hilary Swank foi atraída por ela porque a tensão não vinha de um enredo familiar.

“Adoro que a comandante desta missão a Marte seja uma mulher e esse não seja o drama da série”, disse ela.

O drama do seriado, em vez disso, disse Swank, também não vem por causa da diversidade a bordo.

“Eu amo que o programa lida com todos os tipos de jornada. Há um enredo LGBTQ. É realmente representativo quanto ao mundo em que vivemos.”

“E eu acho que tantas vezes, nos 30 anos da minha carreira, muito disso foi apenas do ponto de vista de um homem hétero e branco. Não era representativo quanto à rua em que eu andava todos os dias.”

Para seu papel como Comandante Emma Green, Hilary Swank foi para o Johnson Space Center da NASA em Houston, Texas, para um dia de treinamento. Ela também conseguiu entrevistar mulheres que há muito tempo são suas heroínas.

Ela conheceu Karen Nyberg – que se tornou a 50ª mulher no espaço em sua primeira missão em 2008 e passou um total de 180 dias no espaço – e conheceu, de certa forma, Jessica Meir. Ela falou com Meir, que estava a bordo da Estação Espacial Internacional.

Meir voltou à Terra em abril de 2020, após sete meses no espaço.

Hilary Swank, que ganhou o Oscar em 2000 por sua interpretação do homem trans Brandon Teena em Meninos Não Choram e novamente em 2005 pelo filme de boxe Menina de Ouro de Clint Eastwood, é conhecida por sua dedicação em seus trabalhos.

As escolhas que ela faz profissionalmente estão enraizadas em sua visão de mundo pessoal.

“Estamos tentando continuamente encontrar igualdade como mulheres no que considero um mundo masculino”, disse ela.

“Acho que com certeza sou interessada nas verdadeiras histórias dessas mulheres, que perseveram em seu próprio caminho.”

Away está agora disponível na Netflix.