Não é da Marvel e nem da DC: ESTA é a melhor série de heróis

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A primeira temporada de The Boys, da Amazon, chamou a atenção pela forma irreverente como teceu críticas políticas e à toda cultura de super-heróis, que se sedimentou na indústria do entretenimento desde que a Marvel surgiu com seu universo cinematográfico. Felizmente, o segundo ano da série não deixa a peteca cair e mantém-se como um dos melhores programas da atualidade.

Baseada nos quadrinhos de Garth Ennis, The Boys traz a antítese da história de super-herói, ao introduzir uma versão maligna do Superman, o Homelander (vivido por Antony Starr na série).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ele lidera uma paródia sombria da Liga da Justiça, os Sete, uma equipe que, aparentemente, salva o mundo, mas esconde segredos nefastos.

Depois de ter deixado uma grande ponta solta na primeira temporada, com Billy descobrindo que sua ex-namorada está viva e ainda é mãe do filho de Homelander, a série retorna com os Sete recrutando novos membros.

Aí entra Stormfront, vivida por Aya Cash, que traz um novo ar para a série. Apesar de, também, não ser flor que se cheire, sua personalidade é um novo atrativo de The Boys, que a coloca como uma ameaça tão grande quanto o próprio Homelander.

Com isso, o seriado da Amazon continua a balancear maravilhosamente bem seus lados mais absurdos e gore, com acontecimentos de revirar o estômago, incluindo mortes repentinas e revelações surpreendentes.

Comédia sombria de absurdos

A série realmente sabe abraçar seu lado mais absurdo e desenvolvê-lo a fim de aprofundar seus personagens, tudo enquanto cria uma única identidade para o programa. De Fato, The Boys é uma obra bastante única na TV, não pela violência, ou pelo sarcasmo, mas como une tudo isso criando suas próprias regras e desenvolvimento.

Ela aborda temas relevantes sem medo, questões como estupro, assédio, relacionamentos abusivos, depressão, auto-aceitação, e muito mais são tópicos trabalhados durante os episódios.

Chega a ser surpreendente a maneira como Eric Kripke, o showrunner e criador do programa, consegue transitar por essas temáticas sem criar artificialidade ou problemas maiores na sua narrativa.

Assim sendo, são poucas as obras que conseguem misturar todos esses assuntos, e ainda nos fazer rir com seu humor ácido, como The Boys. Sem dúvidas, é um seriado que merece destaque e já pode ser considerado um dos melhores da TV atualmente.

Não por acaso sua segunda temporada foi recebida com aclamação pela crítica, com aprovação de 98% no Rotten Tomatoes, com 47 críticas consideradas no presente momento.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio