Alerta de spoilers!

The Boys costuma parodiar o mundo dos quadrinhos e suas adaptações cinematográficas. A segunda temporada, contudo, tira sarro diretamente de Tom Cruise e da Igreja da Cientologia, algo que pode passar despercebido por alguns espectadores.

Essa crítica/ sátira acontece especificamente durante o desenvolvimento do arco do Profundo (Deep no áudio original).

Expulso dos Sete, o herói atinge o fundo do posso e é “resgatado” pela Igreja da Coletividade, que promete colocá-lo de volta no grupo de elite dos super-heróis.


Ele muda sua vida completamente, demonstrando uma faceta mais positiva, alegre, pregando coisas que parecem ser tiradas de livros de auto-ajuda. Isso tudo “ajudado” pelo líder espiritual Alastair Adana e seus representantes.

Paralelo com a vida real

Em essência, a Coletividade é basicamente a Cientologia, só trocamos as celebridades do mundo real, como atores, atrizes, musicistas, por super-heróis no universo de The Boys.

Nesse cenário, o Profundo claramente representa Tom Cruise, o membro com mais visibilidade da Cientologia, que também conta com outras celebridades como Elisabeth Moss, de The Handmaid’s Tale (O Conto da Aia).

Assim como na vida real, a Coletividade simplesmente aproveita a fama dessas pessoas para lucrar em cima delas, ganhando poder através do dinheiro e de seus membros, que também parecem sofrer lavagem cerebral, como vemos nos membros da Cientologia.

Como tudo em The Boys, a crítica é contundente e não deixa de ser hilária. Claro, existem outras seitas do mesmo estilo em Hollywood, mas essa é a de maior destaque.

Ao contrário do lançamento total de oito episódios da primeira temporada em 2019, a segunda temporada de The Boys é lançada semanalmente, com o final da segunda temporada marcado para estrear em outubro.

The Boys está agora disponível no Amazon Prime Video.