E no Brasil? Netflix aumenta valor da mensalidade

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Netflix está aumentando seus preços novamente no Canadá. Segundo Victoria Ahearn, do Bloomberg, o novo preço da assinatura subiu para C$ 14,99 e C$18,00, nos planos padrão e premium, respectivamente.

Com isso, o preço da assinatura subiu C$1 e C$2 respectivamente. A justificativa do aumento de preço foi justificada com o argumento de que, dessa forma, a Netflix “pode investir mais em filmes e séries, assim como a qualidade do produto”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A notificação sobre o aumento do preço da assinatura aparecerá com antecedência de 30 dias para os assinantes.

Ainda é incerto se o Brasil também sofrerá com aumento do preço da assinatura, mas é possível que reajustes sejam feitos.

Curiosamente, estamos falando de um período bastante promissor para a Netflix, que viu um aumento nas assinaturas em razão da quarentena em diversos países.

Netflix em apuros?

A Netflix foi indiciada por grande júri no Texas, EUA, em razão do lançamento do filme Lindinhas, acusado de promover a sexualização infantil e a pedofilia.

Conforme matéria de Dominic Patten, no Deadline, o indiciamento ocorreu no dia 23 de setembro de 2020, partindo de Tyler County. E diz:

“A Netflix sabidamente promove material visual que retrata a exibição sensual de genitais, ou região púbica, coberta, ou parcialmente coberta, de criança que era menor de 18 anos na época que o material visual foi criado, o que apela para o interesse em sexo, e que não contém qualquer valor sério literário, artístico, político, ou científico”.

A Netflix foi convocada no dia 1 de outubro e a intimação nomeia especificamente os chefes da companhia, Reed Hastings e Ted Sarandos. Uma condenação levaria à prisão em penitenciária estadual.

Em declaração, a Netflix defendeu o filme Lindinhas mais uma vez:

“Lindinhas é um comentário social contra a sexualização de crianças. Essa acusação não tem mérito e defendemos o filme”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio