Gosta de Gossip Girl, Sex and the City ou O Diabo Veste Prada? Pois a Netflix tem uma nova série especialmente para você! Emily em Paris estreou recentemente na plataforma, e já conquistou fãs de histórias repletas de figurinos estilosos, reviravoltas interessantes e belíssimos cenários.

Criada por Darren Star, autor da série Younger, Emily em Paris traz Lily Collis como a protagonista homônima. Apresentada como uma executiva de marketing em Chicago, Emily se muda para Paris para revitalizar as redes sociais de um icônica grife de luxo.

Nos 10 episódios da série, Emily e seus novos colegas de trabalho aprendem uns com os outros, e usam suas experiências e visões coletivas para criar uma interessante estratégia comercial.


Em uma entrevista recente, o showrunner Darren Star falou sobre Emily em Paris e as motivações da protagonista! Confira abaixo.

Mudanças culturais

Darren Star começou a entrevista discutindo a viagem de Emily à Paris, e como a influência da Cidade Luz modificou sua visão do mundo e até mesmo suas estratégias de marketing.

“Como ela está morando em Paris, a cultura da cidade definitivamente tem um efeito importante em sua personalidade. As pessoas que ela conhece a influenciam simplesmente por estarem próximas, revelando suas opiniões e visões. É claro que ela também exerce um efeito importante nas pessoas que a rodeiam”, comentou Star.

A grande mudança na vida de Emily acontece quando a protagonista deixa Chicago para trás com o objetivo de se aventurar em uma posição bem mais exigente em Paris.

“A Emily de Chicago é uma mulher com a vida já planejada. Ela tem um emprego que gosta, uma ótima carreira e um namorado comprometido. Além disso, ela nunca havia deixado Chicago, nem pensado nisso”, revelou o showrunner.

Uma das partes mais interessantes de Emily em Paris é a dinâmica da protagonista com sua nova chefe, Sylvie, interpretada por Philippine Leroy Beaulieu. A relação das personagens é bem diferente da de Emily com sua antiga patroa, vivida por Kate Walsh.

“A Emily e a Madeleine (Walsh) são grandes amigas, sempre pensam na mesma sintonia. Além disso, Emily enxerga Madeleine como uma mentora, alguém que sempre a apoiaria. A dinâmica com a chefe de Paris é exatamente oposta”, explicou Star.

Na entrevista, Star foi perguntado se Emily em Paris deve conquistar os fãs de Sex and The City, já que a série também sua Paris como “uma personagem”, assim como a cidade de Nova York era retratada na icônica produção.

“As duas séries são jornadas de autodescobrimento. Elas compartilham mulheres fortes e independentes, curiosas sobre tudo que a vida tem para oferecer. Elas sempre saem de suas zonas de confronto, questionando tudo e todos”, respondeu o showrunner.

Emily em Paris já está disponível na Netflix.