Alerta de spoilers!

The 100 chegou ao fim após sete temporadas e os momentos finais definiram se a humanidade merecia transcender, ou se deveria ser eliminada. Antes dos créditos rolarem, contudo, alguns personagens se despediram de uma vez por todas.

A primeira grande morte ocorreu logo no início de The Last War. Bill Cadogan estava preparado para fazer o teste, quando Clarke o interrompe e o mata, atirando em sua cabeça, vingando-se pela morte de Madi.

Infelizmente, o teste já havia começado e Clarke é quem define o futuro da humanidade.


Enquanto isso, Murphy tenta salvar Emori, que foi mortalmente ferida no penúltimo episódio. Apesar dos esforços dele, ela acaba morrendo. Murphy decide implantar o drive mental de Emori em sua própria cabeça, tecnicamente permitindo que ela viva dentro dele, mas isso levará à permanente morte de ambos.

De volta à Clarke, ela falha o teste e condena a humanidade à extinção, mas Raven faz um último esforço para convencer o juiz a deixa-los com vida.

Enquanto isso, Indra acaba com Sheidheda e Octavia convence todos a pararem de lutar, o que convence o juiz celestial a permitir a transcendência da humanidade, exceto Clarke.

No fim, Raven, Octavia, Murphy, Emori, Echo, Miller, Jackson, dentre outros, decidem ficar ao lado de Clarke, sem transcender, vivendo vidas bem limitadas.

Transcendência e religião

Jason Rothenberg, o criador de The 100, chegou a falar sobre esse destino de Clarke nos momentos finais da série.

“Sabíamos que a jornada de Clarke seria uma queda”, disse o criador do seriado. “Ela definitivamente está quebrada. Ela passou por tanta coisa, fez tanta coisa que as outras pessoas não tiveram de fazer, e, como dissemos no início da série, isso a quebrou”.

“Como resultado das suas ações, ela não pode ir para a terra prometida com todo o resto, como Moisés, mas não foi algo intencional”.

O criador de The 100 continuou, falando sobre como não fez paralelos intencionais com religiões nesse final.

“Definitivamente, eu não estava tentando fazer uma citação à religião. Mas tentamos contar a história de como nossa consciência pode evoluir. Para mim, essa é a história de uma potencial maneira de como a raça humana pode evoluir. Eu acredito nisso.

“Então, não é sobre religião. É mais sobre tentarmos achar um fenômeno natural para explicar a evolução ao próximo nível de consciência, seja lá o que isso for. Algumas pessoas terão uma interpretação religiosa e está tudo bem”.

No Brasil, The 100 tem seis temporadas disponíveis na Netflix.