Com base nos quadrinhos de mesmo nome, The Walking Dead é a série de zumbi mais popular do mundo.

De muitos jeitos, o seriado impulsionou o subgênero dos zumbis da cultura pop, porém também trouxe pontos negativos.

O Observatório do Cinema separou cinco maneiras pelas quais The Walking Dead piorou o subgênero de zumbi.


Comentário social

Filmes de zumbi quase sempre foram muito satíricos e cheios de comentários sociais, especialmente os de George Romero.

Por outro lado, The Walking Dead é um pouco mais vazia, com uma trama desprovida de sátira e cujo comentário social basicamente gira em torno da dificuldade dos humanos em trabalharem juntos.

Tensão

The Walking Dead não foca mais nos zumbis há muito tempo, e atualmente eles só parecem elementos comuns da narrativa.

É bem verdade que os vilões humanos também trazem seu tipo de tensão, mas isso não é nada em comparação com os filmes icônicos do passado, nos quais os zumbis eram muito mais ameaçadores.

Ação

No subgênero de zumbi, quase nunca há uma “zona de conforto”: luta e fuga são constantes, e a ação não para por um segundo.

Em The Walking Dead, isso deixou de ser verdade há muito tempo – os humanos conseguiram se organizar, e os zumbis por si só raramente representam grandes problemas.

História

Pela maneira como foi criada, The Walking Dead deveria evoluir continuamente, mas nem sempre isso aconteceu.

Em determinado momento, parece que a série perdeu um pouco da criatividade – e muitos fãs acham até que o seriado já devia ter terminado.

Niilismo

Filmes de terror com zumbis, como A Noite dos Mortos-Vivos, eram niilistas do começo ao fim, mas também ofereciam entretenimento escapista.

A partir da sétima temporada, The Walking Dead elevou o niilismo ao extremo e sem ter muito mais a oferecer, isso ficou bem maçante.

The Walking Dead volta com a décima temporada em 2021.