Cientistas revelam que fãs amam Game of Thrones por causa de DOIS motivos

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Pode haver uma razão apoiada pela ciência pela qual você não pode abandonar os livros de Game of Thrones, de acordo com uma pesquisa publicada hoje na revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Pesquisadores da Universidade de Warwick leram toda a saga Game of Thrones, de George R. R. Martin, para ver quais fatores fizeram da série um grande sucesso global.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Eles criaram uma rede de relacionamentos entre todos os personagens da série (eles não assistiram à série de TV para este experimento) e olharam para os principais momentos da trama, como quando personagens importantes foram mortos.

Eles concluíram que há duas grandes razões para Game of Thrones ser um fenômeno cultural: imita a forma como as redes sociais da vida real interagem e usa uma ordem não cronológica para tornar os momentos culminantes, como a morte de personagens, críveis, mas imprevisíveis.

“Esses livros são conhecidos por reviravoltas inesperadas, muitas vezes em termos da morte de um personagem principal.”

“É interessante ver como o autor organiza os capítulos em uma ordem que faz com que isso pareça ainda mais aleatório do que seria se contado cronologicamente”, disse o Dr. Pádraig MacCarron, um dos coautores, em um comunicado à imprensa (via Insider).

Motivos para o sucesso

Primeiro, os pesquisadores anotaram todos os personagens mencionados na saga e, em seguida, conectaram manualmente os personagens que se encontraram pelo menos uma vez nos livros, observando se eles interagiram mais de uma vez.

Se o texto de um livro sugeria que dois personagens se conheciam previamente, os pesquisadores também conectavam esses personagens.

Eles localizaram 2.007 personagens e descobriram que 1.806 interagiram com outro personagem pelo menos uma vez. Houve 41.000 interações personagem a personagem ao longo de toda a série.

Ao fazer isso, os pesquisadores descobriram que os relacionamentos em Game of Thrones são paralelos aos relacionamentos humanos da vida real. Isso porque o autor de Game of Thrones, Martin, nunca sobrecarrega os leitores com relacionamentos e interações.

Em vez disso, Martin escreve vários capítulos de perspectivas de personagens diferentes, de modo que cada capítulo inclui cerca de 150 relacionamentos em qualquer momento, em vez de dezenas de milhares de relacionamentos espalhados pelos livros.

150 é o número médio de relacionamentos que o cérebro humano pode processar de uma vez, disseram os pesquisadores.

“Este estudo oferece evidências convincentes de que bons escritores trabalham com muito cuidado dentro dos limites psicológicos do leitor”, disse o coautor do estudo, Robin Dunbar, em um comunicado à imprensa.

Os pesquisadores também reorganizaram a história em ordem cronológica com base em uma linha do tempo de eventos do Reddit para entender melhor como o tempo dos grandes eventos, como a morte de um personagem principal, acrescentou ao suspense da natureza que os fãs amam.

Depois de reorganizar, os autores do estudo descobriram que as mortes dos personagens ocorrem em intervalos previsíveis quando a história é lida cronologicamente, e as mortes só parecem repentinas e surpreendentes quando lidas da maneira que Martin pretendia.

“Retratar eventos significativos pelo tempo do discurso, em vez de como eles acontecem, parece manter o suspense do leitor”, escreveram os pesquisadores.

No Brasil, a série Game of Thrones está agora disponível no HBO Go.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio