Ken Spears, o co-criador de Scooby-Doo, morreu aos 82 anos. O falecimento acontece um pouco mais de dois meses depois da morte de Joe Ruby, o outro co-criador do amado desenho.

Spears morreu no dia 6 de novembro. A morte foi confirmada pelo filho dele para Variety.

O co-criador do amado desenho morreu por complicações da Demência por corpos de Lewy. A doença faz com que o paciente comece a perder aos poucos a função mental.


“Ken será sempre lembrado pela inteligência, seu modo de contar histórias, a lealdade com a família e a forte ética no trabalho. Ken não tocou apenas a vida da família, como chegou até muitos por ser o co-criador do Scooby-Doo. Ken foi um modelo para nós durante toda vida e vai continuar nos nossos corações”, disse Kevin Spears para o site.

Ken começou a trabalhar na Hanna-Barbera em 1959 após conhecer o co-fundador, William. Ao entrar no departamento de edição, Ken conheceu Joe Ruby e os dois tiveram uma parceria de sucesso.

Ruby, por sua vez, morreu aos 87 anos em 26 de agosto. Juntos, os dois criaram ainda Dinamite, o Bionicão e Tutubarão.

Em 1977, fundaram o próprio estúdio. Nele, produziram séries animadas de propriedades como Superman e Alvin e os Esquilos.

A criação de Scooby-Doo

O famoso desenho foi lançado ainda em 1969. Porém, até a estreia, Ruby e Spears tiveram um longo processo criativo.

Ao lado do designer Iwao Takamoto, a dupla tentou diferentes títulos e abordagens. A ideia era se diferenciar de desenhos como Space Ghost, criticados na época por conta da violência.

Após quase criarem um desenho sobre uma banda de rock, a dupla chegou a versão final do amado grupo. Foi assim que surgiram Daphne, Freddie, Velma, Salsicha e o Scooby-Doo.

Os criadores escreveram os cinco primeiros episódios. Depois trabalharam na supervisão da 1ª temporada.

A série original de Scooby-Doo ganhou novos episódios até 1976. Depois, ganhou diversos remakes e até filmes.

No Brasil, o desenho é exibido pelo Cartoon Network. Já os filmes em live-action estão na Netflix.