Com 15 temporadas, Criminal Minds conquistou fãs ao redor do mundo, mesmo tomando algumas liberdades criativas no que diz respeito às cenas de interrogatórios. Agora, o promotor David Fleck falou um pouco sobre porquê dessas cenas não serem verossímeis.

Em entrevista a Pauli Poisuo, do Looper, o promotor apontou o erro em cenas em que há provocação ou ameaças nos interrogatórios.

“Confissões precisam ser voluntárias e não coagidas, caso contrário são excluídas das evidências”, apontou Fleck.


“É possível ameaçar com violência sem usar palavras e mesmo ameaças são consideradas coercitivas. Confissões ocasionadas por coerção psicológica não é automaticamente excluída das evidências, mas o juiz determinaria se isso tornaria a confissão involuntária e não confiável”.

Falando sobre outro cenário, da quarta temporada, Fleck comentou sobre o interrogatório de Henry Grace (Jason Alexander), realizado por David Rossi, em que o suspeito não está restringido de qualquer forma e chega a sussurrar no ouvido de Rossi.

“O problema evidente nesse interrogatório é que o agente especial deixa o suspeito de homicídio chegar perto demais dele. Na vida real, policiais jamais se colocariam em risco dessa forma”.

Evidente que tais liberdades criativas em Criminal Minds são tomadas a fim de criar situações mais dramáticas, mas é interessante observar as diferenças em relação à vida real.

Quem mais matou na série?

Criminal Minds já mostrou várias mortes ao longo de seus mais de 300 episódios, mas há um personagem em específico que matou mais que os outros.

Conforme apontado por estudo realizado por um fã bastante dedicado – citado por matéria de Eric Betts no Looper – Aaron Hotchner é quem mais matou em Criminal Minds.

Segundo o estudo, 30% das mortes da série foram causadas por ele. Em segundo lugar ficou Morgan, com 23,8%. Em seguida vemos uma queda violenta, com J.J. tendo sido responsável por 11,1% das mortes.

Ao todo, Aaron Hotchner foi creditado com 19 das mortes da série e Derek Morgan com 15 delas.

Vale ressaltar que esse estudo foi publicado em 2015, portanto os números mudaram um pouco desde então. Ainda assim, é seguro dizer que Hotchner se manteve na liderança nesse aspecto.

No Brasil, Criminal Minds é exibida na AXN.