O escritor e ex-produtor de The Walking Dead, Scott Gimple, admite que foi “muito traumatizante” entrar em uma mentalidade sombria ao escrever as horríveis mortes de Abraham (Michael Cudlitz) e Glenn (Steven Yeun) na estreia da sétima temporada.

Em “The Day Will Come When You Won’t Be”, com roteiro de Gimple e dirigido por Greg Nicotero, Abraham e Glenn morrem no final, sendo golpeados com um taco de beisebol envolto em arame farpado por Negan (Jeffrey Dean Morgan).

Gimple tirou a morte de Glenn diretamente dos quadrinhos do criador Robert Kirkman e do artista Charlie Adlard, mas trazer a cena da morte sangrenta à vida foi “extremamente difícil”.


“A morte de Glenn foi a mais impactante”, disse Gimple ao Looper quando questionado sobre qual personagem teve a morte que o atingiu mais duramente durante sua gestão de cinco temporadas como produtor.

“Eu diria que as mortes de Abraham e Glenn me deixaram chocado – não vou deixar Abraham fora disso.”

“Esse episódio foi realmente perturbador de escrever, e acho que estava passando por ele da perspectiva de Rick, Maggie e Sasha, e também de Rosita – sentindo isso do lado deles das coisas”, explicou ele.

“Em um roteiro como esse, tudo está fechado na vida, e você está apenas trabalhando nisso. E você está apenas entrando nisso, e foi, do ponto de vista da escrita, muito difícil seguir esse caminho. Foi complicado viver dentro desse episódio e depois filmar esse episódio e senti-lo.”

Foi particularmente angustiante para Gimple por causa de seu relacionamento com Yeun – um veterano da série desde sua temporada de estreia – e Cudlitz, que embarcou na série em sua quarta temporada, a primeira de Gimple como produtor.

“Foi traumático para mim especialmente, sou próximo de Steven Yeun e Michael Cudlitz. Mesmo para escrever esse episódio corretamente, acho que você teve que sentir, e foi muito perturbador”, disse Gimple.

“Todas as mortes foram muito difíceis, extremamente difíceis. Mas tive que me esforçar para escrever essas duas em particular.”

Perturbador episódio

A abertura da temporada cheia de sangue atraiu críticas contundentes dos telespectadores, particularmente daqueles que apresentaram queixas sobre a natureza “sádica” e “visivelmente violenta” do episódio.

Lauren Cohan, que interpreta a então esposa grávida de Glenn, Maggie, também aponta a morte de Glenn como a “coisa mais difícil” que ela já fez como atriz.

“Por mais difícil que seja escolher qualquer cena como a mais difícil ou mais emocionante para Maggie, ou para Lauren em The Walking Dead, eu diria que seria quando Glenn foi morto por Negan”, disse Cohan recentemente à FOX TV UK.

“Em todos os níveis, em uma circunstância física e completamente impossível, foi a coisa mais difícil que eu acho que já fiz como atriz.”