Fate: A Saga Winx faz grande mudança em O Clube das Winx na Netflix

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Fate: A Saga Winx, da Netflix, adapta o popular desenho animado de O Clube das Winx para live-action, fazendo algumas mudanças notáveis ​​ao longo do caminho.

O novo seriado é parte Harry Potter, parte Avatar: A Lenda de Aang, estrelado por um grupo de Fadas estudando magia na prestigiosa Academia Alfea. Fate: A Saga Winx se mantém fiel ao desenho original de várias maneiras, mas também faz algumas mudanças importantes no mundo, no tom, na tradição e nas personagens de O Clube das Winx.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O desenho original de O Clube das Winx foi criado pelo quadrinista italiano Iginio Straffi e trazido para o Brasil via Nickelodeon (e brevemente SBT).

O desenho animado, que durou oito temporadas ao longo de quase duas décadas, conta a história do grupo homônimo de amigas Fadas estudando magia na Academia Alfea – uma academia como Hogwarts na Dimensão Mágica.

O clube é liderado por Bloom, uma fada do fogo, que embarca em várias aventuras com suas amigas para impedir que bruxas, feiticeiras e outras criaturas mágicas tragam o caos ao universo.

De muitas maneiras, Fate: A Saga Winx segue a mesma estrutura. Bloom ainda é a protagonista, ela forma um grupo muito unido com suas amigas fadas em Alfea, e juntas elas estudam magia para enfrentar novamente as forças das trevas que se aproximam. É aí que terminam as semelhanças, no entanto.

O novo seriado toma grandes liberdades com o tom, cenário e enredo de O Clube das Winx, criando uma série que se destina a um público muito mais maduro e que, em muitos aspectos, parece completamente independente de seu antecessor.

Grande mudança nos poderes

Além de todas as mudanças nas personagens e no tom, Fate: A Saga Winx também faz algumas mudanças notáveis ​​em como a magia das fadas funciona.

Em O Clube das Winx, a magia não se limita a um dos cinco elementos principais. Em vez disso, cada fada tem um conjunto único de habilidades vinculadas às suas próprias emoções e personalidade. Musa é a fada da música no desenho animado, por exemplo, não uma fada da mente.

Flora é a fada da natureza, não da terra, e assim por diante. Essa ideia ainda se manifesta na série da Netflix um pouco, já que diferentes Fadas parecem exercer seus respectivos poderes de maneiras diferentes.

Terra tem magia de terra que permite que ela controle as plantas, enquanto a magia de terra de seu irmão Sam permite que ele atravesse paredes.

O desaparecimento da magia transformadora e, portanto, das asas de fada, também é uma novidade no programa da Netflix. Em O Clube das Winx, cada fada tinha asas e podia voar, como Bloom eventualmente consegue fazer no final da primeira temporada de Fate: A Saga Winx.

Claro, parece provável que todas as personagens principais irão eventualmente ganhar suas asas se o seriado continuar. Por enquanto, no entanto, Fate: A Saga Winx continua muito diferente de O Clube das Winx nesse e em muitos outros aspectos.

No Brasil, Fate: A Saga Winx e O Clube das Winx estão agora disponíveis na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio