Lupin tem algumas semelhanças óbvias com Sherlock Holmes, mas há uma razão para a conexão que também abre as portas para uma participação especial de Sherlock em Lupin: Parte 2.

O novo seriado da Netflix, Lupin, atraiu mais de 70 milhões de telespectadores e foi um sucesso surpresa. Como se sabe, a série de mistério francesa retornará em Lupin: Parte 2.

Seja na Parte 2 ou em algum ponto no futuro, Lupin poderia apresentar Sherlock Holmes – ou alguma variação do personagem – e não apenas porque Lupin e Sherlock Holmes têm muito em comum.


Lupin é baseado na coleção de histórias de Maurice Leblanc que estrelam Arsène Lupin como um “cavalheiro ladrão”.

Leblanc escreveu dezenas de histórias baseadas no personagem Arsène Lupin entre 1905 e 1936. Leblanc, que nasceu na Normandia, França em 1864, era francês contemporâneo de Sir Arthur Conan Doyle, nascido cinco anos antes.

Leblanc ficou intrigado com o famoso detetive inglês de Conan Doyle e decidiu incluir o personagem em suas próprias obras.

Leblanc primeiro incluiu Sherlock Holmes no conto “Sherlock Holmes Chega Muito Tarde”, que foi publicado em 1906.

Depois que Sir Arthur Conan Doyle se opôs ao uso do personagem por Leblanc, Leblanc mudou o nome ligeiramente. Herlock Sholmes apareceu em mais duas histórias e o nome foi alterado mais uma vez para Holmlock Shears em 1910.

Desde que Leblanc introduziu o personagem no universo de Lupin, é plausível que Lupin: Parte 2 pudesse incluir o personagem – embora, pelo menos de acordo com a propriedade de Conan Doyle, se Sherlock Holmes entrou em domínio público ainda está em debate.

Possível encontro com Sherlock Holmes

Se Lupin decidiu apresentar Sherlock Holmes, é mais provável que o personagem seja uma homenagem ao invés de uma réplica exata – e o personagem quase definitivamente não seria interpretado por Robert Downey Jr., Benedict Cumberbatch ou Henry Cavill.

Mais importante, existem assuntos mais urgentes em mãos para os personagens de Lupin, a saber, resgatar Assane e o filho de Claire, Raoul.

Não há detalhes do enredo disponíveis para Lupin: Parte 2, mas faria sentido para a série encerrar as pontas soltas da Parte 1 antes de abordar outras histórias. No entanto, como a Parte 1 provou com a personagem Fabienne Beriot, ainda é possível incluir um personagem secundário atraente sem ofuscar a história maior.

Um cruzamento das duas séries pode funcionar, mas Lupin provou que não precisa usar a popularidade de Sherlock para atrair espectadores e Assane pode certamente se manter sozinho sem a experiência de Sherlock (ou Herlock ou Holmlock), embora Assane provavelmente aceitaria qualquer ajudar a encontrar seu filho.

É improvável que o crossover aconteça porque pode soar como “enigmático” e prejudicar a história e os personagens já fantásticos de Lupin – mas, por mais improvável que possa parecer, ainda é possível. Afinal, os crossovers de Arsène Lupin e Sherlock Holmes já aconteceram antes.

No Brasil, Lupin está agora disponível na Netflix.