Explicamos o final de Os Irregulares de Baker Street, da Netflix

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Contém spoilers!

Apegar-se às sombras do passado só pode levar até um certo ponto. Deve-se abraçar o presente com toda a sua miséria e dor e aprender a abandonar o passado.

O episódio final da primeira temporada de Os Irregulares de Baker Street, da Netflix, é uma viagem visceral e emocionante ao esquecimento.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

À medida que o episódio se desenrola, traz à tona questões pertinentes sobre a vida, o lar e a família. E enquanto a primeira temporada da série da Netflix termina de uma maneira agridoce, somos deixados para preencher os espaços em branco em nossa memória.

Se você ficou surpreso com o final do episódio, estamos aqui para resumi-lo e explicá-lo para você.

O final da primeira temporada

No final da primeira temporada de Os Irregulares de Baker Street, o Homem de Linho entoa um cântico e o rasgo (um tipo de vórtice) se expande. Parece que houve algum tipo de acordo entre Sherlock e o Homem de Linho. Beatrice é assombrada pela memória de sua mãe desde que foi tocada pelo Homem de Linho.

No entanto, Jessica consegue incutir um pouco de coragem nela e, juntas, elas embarcam em uma jornada para derrotar o mal da cidade.

Quando alcançam o túnel, o vilão já está trabalhando, e conforme a energia é liberada do rasgo para o mundo mortal, a equipe é forçada a enfrentar seu medo mais profundo.

Enquanto Billy é assombrado pelo falecido dono do asilo, Bea fica angustiada por sua mãe e Leo sangra pelas narinas e pelos ouvidos.

Jessica persegue o Homem de Linho, cujas tentativas de entrar na mente de Jessica viram de cabeça para baixo conforme ela entra em suas memórias. Seu trauma passado o oprime e ele cai de um penhasco, abraçando a morte.

No entanto, não foi ele quem abriu o rasgo. Com a morte do Homem de Linho, as terríveis ilusões desaparecem. O túnel desaba, separando Bea, Jessica e Watson do resto da equipe.

A perna de Billy está aparentemente quebrada, e os jovens seguem em direção ao porão, enquanto as irmãs e Watson vão para a câmara onde o rasgo está ativo.

O rasgo continua aumentando à medida que as ruas de Londres ganham uma aparência infernal com pessoas em transe massacrando e devorando umas às outras.

Outra atividade é vista ao redor do rasgo, de onde uma Alice emerge ilesa. Bea e Jess estão em êxtase por conhecer sua mãe pessoalmente, mas a dinâmica muda quando Jess confronta sua mãe.

Foi Alice quem abriu o rasgo na tentativa de viajar para este mundo. Ela quer que os mundos separados se fundam, o que privaria a morte de seu significado. Alice tenta convencer o resto, mas o grupo está em conflito.

Embora Beatrice e Sherlock não se importem, Jessica e John são sábios para entender as implicações do evento para a distorção da realidade. Jessica quer se sacrificar por uma causa maior, mas Sherlock acaba se tornando o mártir.

Alice vai para o rasgo e Sherlock a segue. Watson e Beatrice conseguem puxar Jessica para fora do rasgo antes que feche para sempre. O mundo está salvo e, em um epílogo, Leo tem que voltar para sua própria vida glamorosa.

É um preço que ele tem de pagar por salvar Billy, e Bea só pode ficar agradecida com o gesto humilde. Spike confidencia a Jess sobre seu maior medo, e eles se aproximam. Bea vai até a casa de Watson em uma tentativa de encontrar um encerramento, onde ela começa a chorar.

No Brasil, Os Irregulares de Baker Street está agora disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio